Dois filmes sobre casamento que fazem pensar

Dois filmes sobre casamento que fazem pensar

Antes de mais nada, não tenho talento, conhecimento, nem vontade para fazer crítica de cinema. Então, por favor, encare esse texto aqui como se você estivesse conversando com uma amiga, ok?

Nas últimas semanas assisti dois filmes bem bacanas sobre casamento. Se você anda refletindo sobre a difícil arte de manter um casamento legal pela vida, esses dois filmes valem a pena.

O primeiro é um filme alemão (aqui precisa ser meio chegado num cinema Europeu), chama-se Gnade (Misericórdia). O casal tem um filho, está em crise e o marido aceita um trabalho numa cidadezinha numa ilha da Noruega, estilo Pólo Norte... A idéia era mudar de ambiente, viver uma aventura em família e superar a crise. Apesar do visual deslumbrante do lugar, a crise só piora. O casamento está por um fio quando, por um golpe do destino, acontece um acidente e os dois têm que enfrentar o maior problemão juntos. Confrontados com uma tragédia, as mágoas e rancores mútuos somem e eles se unem outra vez. Impressionante como sob a perspectiva de problemas maiores, as pequeninices que tanto nos afligem no cotidiano perdem importância. Enfim: se você gosta de cinema alemão, o filme é interessante, o ator que faz o marido é sensacional e as imagens são simplesmente MARAVILHOSAS. A aurora boreal, a neve fofa, o horizonte infinito, essas coisas. E vale muito pela reflexão.  Ah... mas melhor não ver com sono. O filme mostra muitas imagens lindas, mas sabe como é, né? Muita neve, muito nada e quando você se dá conta lá se foi a reflexão... ZZZZ

O segundo filme é mais punk. O título original é "Take This Waltz". Vi porque minha irmã mais nova (solteira, descoladíssima e dona do mundo) me recomendou um milhão de vezes. Se o filme não tivesse sido recomendado por ela, acho que teria desligado no começo pois estava demorando para pegar no tranco... (meu marido dormiu e achou chato pra caramba). A mulher vive um casamento feliz, com um marido louco por ela e super bacana até que... fuck! Ela se encanta pelo vizinho. Ela tem consciência de que o marido é bem legal, não quer traí-lo, mas ao mesmo tempo está louca pelo outro. E agora? Eles não têm filhos... mas mesmo assim é complicado jogar fora uma relação sólida por uma paixão. O filme dá espaço para interpretações diferentes, mas na minha opinião a história traz duas mensagens. Primeira: desejo mesmo (não estou falando de achar o colega de trabalho bonitinho) é um negócio difícil de fugir, te consome. Segunda: nenhuma relação irá te preencher totalmente o tempo inteiro. Você pode estar numa relação que te faz feliz em alguns aspectos e triste em outros. Então o ideal não é procurar o que falta no outro, mas sim em nós mesmas. Eu amei o filme. Deixo abaixo os vídeos com os trailers do filmes. Se alguém assistir, me fala o que achou?

ps- no primeiro vídeo dá para colocar as legendas em português (no lado direito embaixo) mas no segunda não dá e é em alemão, sorry! mas as imagens não precisam de tradução nenhuma.

 

Links da Semana

Links da Semana

A dificuldade em deixar os filhos por conta do pai

A dificuldade em deixar os filhos por conta do pai