Porque eu não me importo de ter chegado nos 40

Porque eu não me importo de ter chegado nos 40

40.jpg

Já li muita coisa, inclusive aqui no nosso blog, sobre a famigerada idade dos 40. Ok, eu cheguei nela e ...?

Bem, a minha barriga não "apareceu" agora. Eu sempre fui magra, mas ela (a barriguinha) sempre esteve por lá me incomodando, com gordurinhas a mais que sempre quis perder, mas nunca consegui. Talvez por causa da minha dependência por Coca-Cola. Sim, eu ainda tomo Coca! E não é porque cheguei na "metade da vida" que vou parar.

Eu me olho no espelho e não sou cega: as tais ruguinhas estão lá, mas já estavam sendo notadas há alguns anos. Elas não apareceram do dia para a noite. E querem saber? Eu ainda me viro muito bem com a base que uso no rosto. Base é uma super aliada da minha pele, para esconder o que não quero mostrar. Faço uma maquiagem leve e me sinto bem. Será que é isso? Depois dos 40 se maquiar resolve? Mas é que eu sempre usei esse truque. E nunca fui de me preocupar com mil e um creminhos para o rosto, pra desgosto da minha mãe que se cuida à beça. Com perdão das queridas dermatologistas que eu conheço, eu nunca tive a menor paciência para passar cremes. Eu sei que já precisava ter começado a me preocupar com isso porque fiz 40, mas tenho muita preguiça. Sou amiga da base e do filtro solar. Não está bom? Li uma entrevista de uma celebridade, que tem a minha faixa etária, e ela dizia que usava Creme Nívea pra tudo (aquele mesmo antiguinho, da latinha azul). Achei o máximo!

E aquele discurso de que tudo cai, despenca? Eu posso até não estar fazendo um julgamento severo a meu respeito. Claro: não tenho mais 20... Mas me sentir detonada? Jamais! E eu bem conheço um monte de mulheres com corpos fantásticos aos 40, capazes de fazer inveja a muitas garotas. Sempre que estou meio cansada na minha aula de ginástica, viro para a professora e brinco: "Sabe como é, né? Já fiz 40!". E eu a-d-o-r-o a risada dela balançando a cabeça negativamente como se a desculpa não fizesse nenhum sentido. E realmente, pra mim (ainda), não faz! Com menos idade eu também não dava conta de fazer todos os exercícios.

Eu acho que a pressão dos 40 está muito mais à nossa volta do que dentro de nós mesmas. Há alguns meses fiz um exame de vista de rotina (nunca usei óculos). De cara, a oftalmologista viu minha ficha e falou antes do exame: "Humm... 40... Você sabe que deve precisar de óculos, né? A tal vista cansada...". Pois ela errou no pré-diagnóstico. O cansaço da vista ainda não me alcançou. Quem sabe na consulta do ano que vem? Desculpem o trocadilho infame, mas eu literalmente vou ter que pagar pra ver.

Pois é... Aí tem aquele outro papo de que com 40 a gente chega a um estágio da maturidade capaz de superar qualquer ruga. Que é importante valorizar o quanto nos sentimos mais realizadas e donas de nós mesmas. Mas essa história me cansa e não cola pra mim. Até parece que já fizemos tudo. Estar com a cabeça mais centrada? Ok. Mas já realizada ou com as perspectivas encerradas? Ainda me sinto com uma super vontade e
coragem para descobrir novos desafios pra minha vida. Conheço mulheres que mudaram de carreira aos 40!

Ah, mas quer dizer que eu não defendo as vantagens de estar com 40? Sim, defendo... É ótimo já ter capacidade para conjugar melhor os verbos "relevar", "analisar", "ponderar"... E não apenas "discutir", "questionar", "confrontar".
Mas daí a pensar que chegamos ao ápice da inteligência emocional (o que não é verdade) e isso vai ser o consolo para não ficarmos tristinhas com as inevitáveis estrias no corpo?

Tem alguma coisa errada com esse discurso, muitas vezes trágico, para a mulher de 40. Vivemos uma nova cronologia mundial: em que é com 40 que a mulher está virando mãe, é com 40 que ela está encontrando o que quer da vida, é com 40 que muitas de nós começam de novo. Então, me façam o favor... Mudem a data do discurso. Como? Sim, adiantem uns 10 anos... Tipo como a gente faz com Horário de Verão... Comecem a falar da "grande mudança na vida da mulher" lá pelos 50? É que eu acho que ainda tenho gás de me sentir na dezena dos 30. Então, falem da mega transformação lá na frente, não nos 40. Porque, por enquanto, pelo menos pra mim, ainda está cedo para essa discussão.

 

Fabiana Santos mora em Washington-DC e tem 2 filhos. Ela faz 41 anos este mês, exatamente no mesmo dia que sua parceira no blog, Camila Furtado, faz 38. Fabiana tem dois anos para convencer a Camila que não é preciso temer os 40. 

Quem sabe o que é melhor para o meu filho sou eu

Quem sabe o que é melhor para o meu filho sou eu

A maternidade em um piscar de olhos (ou 5 x dia 11 de novembro)

A maternidade em um piscar de olhos (ou 5 x dia 11 de novembro)