Sobre ter um coração verde e amarelo

Sobre ter um coração verde e amarelo

Maria,

Você nasceu na Alemanha. Seu pai é alemão. Sua mãe é brasileira. Você é brasileira-alemã. Como moramos na Alemanha, tento sempre colocar o Brasil no seu coração. Te digo que é bom ser brasileira. "Por que, mamãe?" você pergunta.  Porque o Brasil é lindo, porque temos humor, porque a vida é uma festa, porque é bom escutar MPB e entender a letra. Já te dei mil razões. Todas ainda muito pouco palpáveis para você, com seus 4 aninhos.

Faz 8 anos que eu moro na Alemanha, filha. Mas o Brasil nunca saiu do meu coração. Eu amo o Brasil mais até, do que quando eu morava lá. Sinto falta da alegria das pessoas, do sol brilhando, do mar, de sair na rua e me deparar com estranhos sorrindo para mim e ser normal. Me dá até saudades de chegar no Rio e o taxista não querer me levar, porque para onde eu vou não é o caminho dele.

O que me segurou todos esses anos, além de aqui ser o país do seu pai, é que o Brasil é maravilhoso, mas o Brasil é foda também. O Brasil me dá medo, principalmente depois que você e o seu irmão nasceram. Seus tios brincam comigo, dizendo que eu virei gringa. Eu não sou gringa, filha. Eu nunca me senti menos brasileira em todos esses anos.  Mas desde que eu moro aqui, me assusta demais a desigualdade social, a corrupção desenfreada e o descaso das autoridades com a vida das pessoas. Me dá medo da gente estar na praia feliz - que é o lugar em que você e seu irmão mais se divertem no Brasil - e de repente vir um doido nos assaltar.

E como mãe, diante desses absurdos que acontecem no Brasil, eu penso que talvez seja melhor ficar por aqui, sabe? Na Alemanha, a gente tem tudo: saúde, educação, cultura, segurança, direitos, perspectivas... Sinceramente não é tão divertido como no Brasil. Isso até você, com sua pouquíssima idade, já percebeu. Mas aqui você vai ter tudo que você precisa para crescer, se desenvolver, e no futuro fazer o uso do seu potencial máximo. E para você ter todas essas chances e possibilidades, nem eu, nem o seu pai precisamos nos matar de trabalhar. Todo mundo tem. Alguns mais, outros menos, mas todo mundo tem. E isso é que é o incrível da Alemanha. Se alguma coisa sai errada, os alemães - que já são meio bravos por natureza - ficam muito bravos mesmo com os responsáveis pelo país. As pessoas aqui se sentem no direito de ter tudo do bom e do melhor. Porque eles pagam para isso. E nada deixa um alemão mais enfezado do que pagar por uma coisa e não receber um serviço de qualidade de volta.

É por isso que me enche o peito de alegria abrir a internet e ver as fotos das manifestações que estão acontecendo no Brasil. Não sei se as coisas vão mudar. Mas eu gostaria de estar lá agora. Gostaria, de no maior estilo tupiniquim, cantar o hino nacional junto com todos esse brasileiros que foram às ruas, porque agora, assim como os alemães, eles acham que também têm direito a tudo do bom e do melhor. E tem outra coisa que preciso te dizer sobre os brasileiros, Maria: eles são otimistas, eles acreditam num futuro melhor, e eles têm uma coisa linda chamada esperança. 

Hoje eu coloquei em mim, em você e no Gael a camisa do Brasil.  Não estamos lá, mas somos brasileiros, filha. E é bom ter o coração verde e amarelo.  E eu espero que um dia, mesmo você vivendo sua vida inteira na Alemanha, você possa sentir o que eu sempre senti, mas hoje, muito mais: orgulho de ser brasileira. 

Avante Brasil!

Largo da Batata 17.06.2013

Largo da Batata 17.06.2013

Compartilhar

Compartilhar

Deixei meu trabalho para cuidar das minhas filhas

Deixei meu trabalho para cuidar das minhas filhas