Tarja Branca - imperdível!

Tarja Branca - imperdível!

Essa gorducha aí sou eu com a minha irmã Carol, e depois que vocês assistirem o filme, vocês vão entender porque eu fiz questão de colocar uma foto de mim criança aí.... Se alguém quiser me mandar uma foto sua criança faço uma galeria no blog. Juro!

Essa gorducha aí sou eu com a minha irmã Carol, e depois que vocês assistirem o filme, vocês vão entender porque eu fiz questão de colocar uma foto de mim criança aí.... Se alguém quiser me mandar uma foto sua criança faço uma galeria no blog. Juro!

Gente, acabei de ver Tarja Branca, um documentário sobre a importância de brincar na infância e na vida adulta. E estou profundamente tocada com esse filme espetacular. Sabe quando você lê um texto ou um livro, ou vê um filme e se sente extremamente agradecido a quem produziu/escreveu aquilo porque a pessoa conseguiu colocar em palavras uma coisa que você estava sentindo e não sabia verbalizar? Você tem uma coisa no peito, mas você não sabe dizer direito o que é, e só consegue começar a processar o aperto no peito, quando alguém te faz o favor de te explicar? Pois é assim que eu estou me sentindo. Sei que acabei de recomendar um filme no blog, e parece até que agora o Tudo Sobre Minha Mãe virou um blog de crítica de cinema, não quero ficar me repetindo, mas não podia deixar de recomendar: ASSISTAM Tarja Branca!

Não é só apenas super bem feito, mas trata de um assunto fundamental para a gente que tem filhos e quer que eles tenha uma infância boa, para a gente que questiona o consumismo desenfreado, para a gente que se sente sufocado pela vida, para a gente que está nadando em responsabilidades e não tem tempo para se divertir. As imagens são lindas e os entrevistados dão depoimentos incríveis.

Eu vi o filme sozinha no computador, e toda hora eu me via falando alto comigo mesma: "Nossa, que forte isso que ela falou... Nossa que verdade, nossa que bonito, nossa que emocionante." Tipo louca mesmo, falando sozinha. Talvez para mim, pessoalmente, tenha tocado muito porque além de eu ser mãe, além de eu estar vivendo esse momento de questionamento forte em relação a educação que eu quero que as crianças tenham (Maria está entrando na escola ano que vem), o filme fala muito também sobre cultura popular, sobre essa coisa maravilhosa que o Brasil tem de alegria, de bom humor, de música e eu moro na Alemanha, que é um país maravilhoso, mais às vezes muito sério....  E além disso tudo, eu estou numa fase de não ter tempo para nada, e isso está me matando...  (nem escrever direito pro blog - que é um negócio que eu adoro - eu tô conseguindo...). Total, que hoje meu marido pegou as crianças para fazer um passeio e eu fiquei em casa, e decidi que eu não ia fazer NADA chato. NADA de trabalho, e tive a ideia iluminada de ir assistir Tarja Branca às 10 da manhã (típico de gente que não tem nada para fazer, o que se você for ver o estado da minha cozinha, não é o meu caso, haha!) E que bom que eu fiz isso!

Aqui deixo trechos de alguns depoimentos do filme, infelizmente - sorry, sorry, sorry - sem os nomes de quem falou o que. Mas eu confio que vocês irão ver o filme, e vão reconhecer os autores das sábias palavras. Fiquei muito fã de todos!  Dá um pouco de pena deixar os trechos dos depoimentos assim soltos aqui, porque no documentário, eles estão super bem encaixados, não são coisas soltas, são parte de uma argumentação fantástica. Mas estou tão empolgada que precisava dividir... 

"A gente tem que seguir esse meninos, essa força, essa vontade, essa alegria. E aí a gente percebe que quando eles crescem, esses que viveram tudo isso, eles crescem otimistas, porque eles viveram isso, eles viveram alegria, prazer, quem vive isso não quer outra coisa, não quer tristeza, não quer pessimismo" 

"Meu Deus como eu perdi tempo com essa seriedade, talvez eu pudesse ser um pouco menos responsável?"

"...e se os meninos não brincam, eles ficam diminuídos nas suas possibilidades de manifestação." - (Ai, meu Deus do Céu, existem tantos adultos que eu conheço diminuídos nas suas possibilidades de manifestação!)

"Você tem que lembrar daquele menino que você foi. Aquele menino que você foi tá o tempo todo olhando para você. (e te perguntando) e aí o que você fez de mim?"

"Você lembra, você tem fotos, você lembra quando você olhava para o céu e ficava imaginando o que acontecia nos outros planetas, aquele brilho, aquela luz, naquele menino, naquela menina, aquilo tem que ser permanente."

"Lembrar desse menino, lembrar desse brilho quando a vida ainda era muito misteriosa, isso é que vai te guiar a fazer a tua vida inteira ser muito iluminada, lembrar dessas aspirações, não pode perder esse pé no sonho, esse pé na infância."

Aqui o link para assistir até dia 27.11 on line gratuitamente pois o Tarja Branca está participando de um festival, e minha irmã disse que tem no Netflix (estou acreditando nela, porque aqui não tem Netflix, então não posso conferir). 

Aqui o trailer, que é legal mas que infelizmente é apenas um gostinho muito sutil do que é o filme inteiro. Divirtam-se! Literalmente :-)



10 ideias de presentes para as crianças que não são brinquedos

10 ideias de presentes para as crianças que não são brinquedos

Um filme para ver que o tempo passa...

Um filme para ver que o tempo passa...