Me avise, seu eu virar uma mãe chata

Me avise, seu eu virar uma mãe chata

Quando minha amiga engravidou, me disse: “Olha, se eu virar uma dessas mães chatas que não têm nenhum assunto além de bebê, por favor, me avise!". Na época, eu ainda era solteira e diante desta frase fiquei logicamente curiosa em pensar que tipo de mãe minha amiga seria. Ela sempre teve um estilo meio mãezona, um pouco careta, mas achei legal essa vontade dela de manter um pouquinho do seu espírito jovem.

Pois minha amiga virou uma mãe chata. Foi uma época muito difícil para mim. Nós não éramos melhores amigas, mas éramos amigas do tipo que compartilhavam detalhes pessoais e se viam com freqüência. E eu sempre torci para que essa amizade virasse uma amizade do peito, achava que tínhamos muito em comum. Mas aí veio a parte da mãe chata e acabou com todos os meus planos.

No começo eu tentei ser compreensiva, mas ficava muito triste ao encontrar minha amiga. Quando marcava um café, ela segurava seu bebezinho à tarde toda e o contemplava apaixonada, pouco prestando atenção no que eu dizia. Ou nos telefonávamos e ela desligava assim que o bebê acordava, não porque ele estava chorando. Mas pelo simples fato que uma vez ele acordado não fazia mais sentido ela ficar ali, falando comigo no telefone. Eu não sabia o que fazer, tinha a impressão de que a vida dela era o bebê e mais nada, mas empurrava a amizade com a barriga.

Tempos depois, era eu quem virava mãe. Achei que isso ia melhorar a nossa relação, uma vez que agora teríamos um bom tema em comum, mas aí sim as coisas desandaram de vez. Eu gosto muito de conversar sobre criança e tudo mais, é óbvio. Mas também tenho necessidade de outros temas. Só que minha amiga não. Ela adora conversar sobre a melhor papinha, a melhor garrafinha, o melhor sapatinho, o melhor cadeirão, o melhor babador e eu fico profundamente entediada com ela. Mas antes de deixar tudo se acabar, eu queria uma chance ainda.

Escolhi a coisa que mais me incomodava e disse a ela. Tinha esperança de que nossa relação iria melhorar tirando pelo menos uma pedra do caminho. Na verdade coisa boba sob o meu ponto de vista, nada que alguém pudesse levar como desaforo. Mas nesse momento nossa amizade de fato acabou. Não pude acreditar, mas não teve jeito, minha amiga cortou relações comigo. Com muita tristeza aprendi que na esfera materna não podemos falar abertamente sobre nada e que críticas, não importa o quão bobas ou quão necessárias, são completamente tabus.

Agora eu fico me perguntando o que teria acontecido se, ao invés de uma única critica, eu tivesse dito a ela, como havia me pedido, que ela se tornou uma mãe chata?

 

Este texto foi enviado por uma leitora e editado para a coluna Mães Anônimas. Agradecemos nossa leitora pelo seu depoimento.

 

 Preparando o ninho? Eis uma lista made in New York.

Preparando o ninho? Eis uma lista made in New York.

Você conhece uma Soccer Mom?

Você conhece uma Soccer Mom?