Como anda sua vida sexual depois de ter filhos?

Como anda sua vida sexual depois de ter filhos?

photo-2.JPG

Como ficou a sua vida sexual com o seu marido depois que vocês tiveram filhos? Não venha me dizer que é a mesma coisa porque definitivamente não é. Bom… pelo menos não a minha, a das minhas amigas e das amigas das amigas. Sabe como é mulher, né? Juntando uma conversinha aqui, outra ali...  Vi que todas têm suas questões e consegui identificar algumas semelhanças e montar uns perfis sobre a vida sexual materna pós-filharada. Veja se você se encaixa em algum desses tipos. Claro que eu não escrevi esse post porque quero que você me diga qual o seu perfil nos comentários, mas sim para que você veja que todas nós, em maior ou menor grau, temos que lidar com algumas "novidades" na vida sexual até que as coisas se ajustem.

A mãe com horário marcado

Tenho uma amiga que faz sexo com o marido com horário marcado: uma vez por semana. É claro que ela nunca pensou que teria que ser assim. Antes de ter filhos, ela acreditava que tudo iria continuar avante e sempre, bastava querer (quanta ilusão…). Mas agora ela prefere ter esta rotina sexual estabelecida. Diz que morre de preguiça do antes, mas que depois fica bem feliz. Não é romântico mas pelo menos acontece, um dia quem sabe a espontaneidade volta.

A mãe que faz greve (de sexo)

Tem aquelas que ficam tão irritadas com a falta de ajuda dos maridos em relação aos filhos e à casa que apelam: não liberaram pra eles. No caso dessas, elas não agüentam mais reclamar de fazer tudo sozinha. E por isso usam a arma que têm para mudar o marido: “ou colabora ou não tem sexo”. Resta saber até quando elas resistem!

A mãe que não quer transar com o papai

Há quem sinta que todo o glamour do sexo com o marido foi embora junto com os anos que foram passando. Ele virou o melhor amigo, o melhor companheiro, o melhor pai dos filhos. O problema é que essa parceria passou como um trator em cima do tesão. Essas mães não estão necessariamente querendo trair seus maridos, mas não conseguem mais enxergá-los com desejo, ainda que sexo lhes façam falta. Elas sonham com os antigos namorados, observam outros homens e vivem num eterno dilema. 

A mãe que não sabe para onde foi o seu tesão

Uma amiga que sempre teve uma vida sexual legal com o marido, sem nenhuma dificuldade para sentir prazer, que foi capaz de transar freneticamente com ele com o objetivo de “engravidarem” , hoje se sente uma verdadeira geladeira. O filho tem menos de um ano, a maternidade literalmente tomou conta do corpo dela e ela não sente nenhuma vontade: libido zero. O marido, sendo um cara sensível e que leu bastante sobre maternidade, tem até compreendido esse “momento” da mulher.  Mas ela tem se sentido bastante culpada porque nas poucas vezes em que rolou sexo: ela simplesmente fingiu orgasmo! Para ela: algo inimaginável!

A mãe vencida pelo cansaço

Será que só eu que fico exausta quando vou para a cama depois que dei jantar, banho, mamadeira, contei histórinha, escovei os dentes, coloquei pra fazer xixi e fiquei no quarto até minha filha pegar no sono? Eu sei… tem todas aquelas coisas de não deixar a fantasia morrer, preparar surpresas, manter a disposição, deixar de dormir com aquela velha camiseta desbotada. Mas é que muitas vezes o que você mais deseja é apagar, fechar os olhos, ir para uma outra dimensão de supremo descanso. 

A mãe que espera algo mais 

Peraí que a culpa não é só da mãe! As mulheres buscam afeto, segurança, colo, proteção… tudo isso dentro do pacote amor. Mas ainda precisam de outras coisas, né? Porque nós também queremos mistério, suspense, novidade, loucura… dentro do pacote desejo. E aí muitas de nós ficam na expectativa de que o parceiro vai se esforçar para não deixar este desejo morrer. Só que não rola nenhum esforço da outra parte. Sabe aquela história de chamar a mulher de “mãezinha”? Me desculpe, mas acho que isso desanda tudo! E beijinho de marido na testa da mulher? Posso até estar exagerando, mas pra mim isso é desanimador!

A mãe que cuida da intimidade com o marido

Existe sim, a despeito dessa fama de que tudo piora, mães que se reinventaram, justamente por entenderem que nada será como antes. Pode não ser espetacular, mas pode ser bom o suficiente. Pode não ser com a frequência do passado, mas quando acontece é especial. Casais assim, mesmo rodeados de filhos, conseguem preservar a melhor parte da intimidade.

A mãe do comercial de margarina 

Mesmo com filhos, rotina, cansaço, responsabilidades, estresse de contas para pagar… o sexo está em alta! O casal consegue um momento (ou melhor, inúmeros) para dar e receber prazer com muita paixão e vontade. Eles têm filhos que dormem a noite inteira, continuam lindos e têm os corpos com tudo em cima. São exatamente aqueles pombinhos de alguns anos atrás. Mas tem um detalhe: esta história não é de nenhuma amiga… só aparece em novela!

Agora piadinhas à parte, se esse tema sexo tem realmente tirado seu sono, aqui vão alguns links:

-A belga Esther Perel é psicóloga, escritora, reconhecida mundo a fora como uma super especialista em casais e sexualidade e no TED ela fala sobre o segredo do desejo nos relacionamentos duradouros ( “The secret to desire in a long-term relationship”), que aqui a gente selecionou com legenda em português.

-Para quem gosta de listinha de conselhos, o site canadense (bem legal!) Canadian Living revela cinco jeitos de manter sua vida sexual após ter filhos. (“5 ways to maintain your sex life after having kids”).

-E por fim, uma dica de filme (que não é aquele do sexo perfeito): “Sex after Kids”, é uma comédia que mostra vários casais e suas tentativas hilárias de retomar a vida sexual depois dos filhos. Qualquer semelhança não será mera coincidência…

Fabiana Santos é jornalista, mora em Washington-DC, é casada há 11 anos e tem dois filhos: Felipe, de 9, e Alice, de 3.

Você conhece uma Soccer Mom?

Você conhece uma Soccer Mom?

Viagem em família: pessoal e intransferível

Viagem em família: pessoal e intransferível