Michelle Obama fala do seu pior momento como mãe

Michelle Obama fala do seu pior momento como mãe

Quem diria… até a primeira dama norte-americana já enfrentou os dilemas de todas nós mães-mortais-batalhadoras. Esta semana, Michelle Obama deu um depoimento contando sobre as suas próprias experiências como mãe que trabalha fora.  

A entrevista de Michele fez parte de uma aparição do presidente Barack Obama que falou na Casa Branca sobre como ele pretende melhorar a situação dos pais que trabalham fora nos Estados Unidos. Ele defendeu bandeiras como a licença familiar paga e creches mais acessíveis.  

Michele Obama contou que a primeira vez que sentiu na pele como era difícil conciliar carreira e maternidade foi quando sua filha mais nova, Sasha, tinha apenas 4 meses de idade e a babá pediu demissão. Ela disse que se sentiu arrasada quando percebeu o quanto o "equilíbrio" entre a maternidade e a vida profissional era frágil. Na avaliação dela, qualquer coisa que dá errado, seja um filho doente ou um problema doméstico, descompensa muito este equilíbrio.

Ela estava praticamente deixando de trabalhar quando recebeu um telefonema do Hospital da Universidade de Chicago sobre uma oportunidade de emprego. Então ela fez o que podia fazer: levou a filha mais nova com ela. Era uma mãe amamentando, sem babá, numa entrevista de trabalho.  

Michelle Obama decidiu ser franca com o possível empregador: “Olha, esta é quem eu sou. Eu tenho um marido que está fora. Eu tenho dois bebês. Eles são a minha prioridade. Se você quiser que eu faça o trabalho, além de me pagar para isso, você tem que me dar flexibilidade”.  

Para a surpresa dela, o empregador disse: “Claro que sim”. E ela se tornou vice-presidente do Hospital e disse ter sido uma das melhores experiências que teve graças a compreensão do seu empregador. O que obviamente não acontece com todo mundo.  

É claro que a própria Michelle frisou que nos dias de hoje, a vida dela e do marido com os filhas é bem mais fácil. Afinal, morar na Casa Branca, cercada de recursos (diga-se, um bom staff de empregados), é moleza, né? Além disso, a avó das meninas vive no andar de cima.  

Ela destacou, por exemplo, que os “day-care”, as creches americanas, são muito caras. Arrancou risadas da platéia ao brincar o quanto uma mãe torce para um filho não ficar doente porque ela precisa ir trabalhar. Se mostrou bem preocupada e consciente do que se passa com grande parte das mães americanas que não contam com um suporte ideal para seguir em frente com suas carreiras.

É isso aí, Michelle. Um a zero para você que está tentando junto ao seu marido, mudar o rumo dessa história…

Felizes são as mães (e os filhos das mães) equilibradas

Felizes são as mães (e os filhos das mães) equilibradas

Pra que tanta regra?

Pra que tanta regra?