5 regras de etiqueta para visitar um recém-nascido

5 regras de etiqueta para visitar um recém-nascido

Aqui estão cinco regras básicas (inspiradas nas sugestōes da leitora Ruth Battistetti) de como o visitante deve se comportar numa casa com bebê. Afinal, não é uma visita qualquer. O centro das atenções ainda é uma novidade inclusive para os donos da casa. Como bem descreveu nossa amiga leitora: “A vida nova de mãe vira tudo de ponta cabeça. No começo é como se você acordasse num quarto escuro e desconhecido, onde você vai apalpando as coisas para ver se entende onde está”.  

1 - Não apareça sem avisar  

Muita gente não se dá conta de que numa casa onde existe um recém-nascido: a mãe pode estar de camisola, sem a camisola ou de peitos para fora (porque precisa, muitas vezes, dar uma folga para os mamilos depois da mamada). E além disso, muito provavelmente a casa está uma zona. E se a mãe a ser visitada for de primeira viagem, além de muito cansada, ela ainda está descobrindo o que fazer e o que não fazer com um bebê no colo. E nesse momento, o pior que pode acontecer é o porteiro interfonar dizendo que tem uma visita querendo subir para conhecer o bebê ou aquela vizinha que se considera da família decidir dar uma “chegadinha” inesperada para ver seu filho. Então, por favor, combine antes. Muita gente comunica quando pode ir ao invés de perguntar qual o horário mais conveniente para ir (como se estar em casa significasse tempo livre sempre).  E muito importante: não use um perfume forte, lave as mãos caso queira encostar no bebê (não se ofenda se a mãe pedir isso) e leve uma lembrancinha, afinal, todas as mães esperam um mimo para o filho que nasceu por mais que digam "não precisava".  

2 - Só ofereça alguma ajuda se sentir clima

Esta recomendação vai depender do seu grau de intimidade com a família que está sendo visitada. Porque é preciso ter certeza de que se você estiver oferecendo uma ajuda, a mãe (ou o pai) vai poder ter a liberdade de dizer “não, muito obrigada”, sem que você fique ofendida. Para alguns ajuda nunca é demais (incluindo lavar uma louça e tal), mas para outros a intromissão de querer ficar com o bebê no colo ou se oferecer para dar o banho, por exemplo, é inadmissível. Totalmente fora de cogitação é querer tirar o bebê do berço sem a autorização da mãe. Um misto de ciúmes e temor assombram muitas mães neste iniciozinho e é preciso entender. Algo importante é não ficar incomodada com as frescuras maternas. Já fui visitar um recém-nascido que a mãe não me deixou ver porque ele estava dormindo no quarto e me mostrou uma foto dele. Fazer o quê? Mas se a situação permitir, pode ter certeza, é um alívio para uma mãe menos encucada conseguir tomar um banho enquanto você estiver vigiando o filho dela (principalmente se este já for o segundo ou terceiro filho).

3 - Leve uma comidinha para agradar

Esta não é uma visita em que a dona da casa está disponível para lhe oferecer um jantar (aliás, o melhor é não ir no horário das refeiçōes) ou um lanche caprichado. A dona da casa está atônita entre choros, arrotos, mamadas, cólicas e afins. É de muito bom tom que você surpreenda positivamente levando alguma coisa para comer (e já avise antes): um bolinho, uns biscoitinhos, uma salada de frutas… Assim o lanche está salvo, a mãe recém parida não vai precisar se preocupar com o que lhe oferecer e ainda terá algo gostoso para comer.

4 - Tome cuidado com os palpites

Não repare no que você não concorda. Tenha certeza de que seus diagnósticos e conselhos podem sinceramente incomodar a mãe do bebê. Aquele papo de que “no meu caso funcionou assim ou assado”, pois é… exatamente como você falou foi no “seu caso”. É muito chato receber visita de experts que acham que a mãe em questão não está fazendo do “jeito” certo. Muitas vezes a intenção é a melhor possível mas o mais adequado é só meter o bedelho onde for chamada. Se a mãe quiser amamentar, deixe-a muito à vontade caso ela queira ficar sozinha com o filho. Há mães que preferem a privacidade. Eu que sempre fui desencanada, fiquei absolutamente constrangida com uma visita que puxou uma cadeira, se prostrou do meu lado e ficou observando (e comentando) a mamada do meu primeiro filho.

5 - Não demore muito

Ainda que a visita seja em casa, e não no hospital, procure ser breve (porque no hospital vamos combinar que o tempo dever ser sempre o menor possível e para quem é bem íntimo). Uma mãe de recém-nascido quer invariavelmente poder descansar se tiver alguma oportunidade para isso. Ou “lamber” a cria sossegadamente (nos intervalos mamada-colo-troca de fralda). Já ouvi muita mãe dizer que deixou a visita na sala e foi para o quarto porque definitivamente passou da hora mas a visita não se mancou. Se isso lhe acontecer, pelo amor de Deus, tenha a certeza de que você já deveria ter ido embora  - por mais que os donos da casa digam “fique a vontade”. E apesar de todos estes conselhos parecerem um tanto quanto antipáticos, para a grande maioria das mães uma visita com bom senso pode distrair, ser bem agradável, fazer a mãe se sentir menos sozinha e ser muito bem vinda!

 

Fabiana Santos é jornalista, mora em Washington-DC e é mãe de Felipe, de 10 anos, e Alice, de 3 anos. Quando a Alice nasceu no Brasil, ela logo teve que se mudar e sentiu falta de ter recebido mais visitas. 

Eu sempre sonhei com uma filha, mas estou grávida do terceiro menino

Eu sempre sonhei com uma filha, mas estou grávida do terceiro menino

Um vídeo sobre "julgar outras mães"

Um vídeo sobre "julgar outras mães"