Marie Kondo: ela promete que você vai arrumar sua casa de uma vez por todas e nunca mais!

Marie Kondo: ela promete que você vai arrumar sua casa de uma vez por todas e nunca mais!

Estou promovendo uma organização drástica na minha casa, e se você segue esse blog há algum tempo sabe que essa não é a primeira vez. Mas espero sinceramente, que seja a última. Isso pelo menos é o que a japonesa Marie Kondo, autora do livro “A mágica da arrumação- A arte japonesa de colocar ordem na sua vida e na sua casa” está me prometendo. Marie Kondo é uma organizadora profissional, e o livro que explica seu método - ganhei de presente da minha irmã - vendeu 2 milhões de cópias. O método é um fenômeno mundial, a lista de espera para uma consultoria com Marie é de 3 meses e para explicar a mágica da arrumação, ela já deu entrevistas e palestras nos lugares mais badalados do mundo, como no Google por exemplo.

Mas e então, será que essa mulher vai mesmo dar um jeito na nossa casa? Olha.... milagre não existe, mas o livro pode ser uma tremenda inspiração para quem está em busca de ordem. Uma das argumentações da autora é que a gente tem coisa desnecessária demais em casa, e isso não só causa uma bagunça enorme, como também embaça nossa visão, nos atrapalha na hora de viver a vida que a gente quer viver. Segundo Kondo, deveríamos estar cercados de objetos que verdadeiramente amamos e são úteis para nós, em vez de estar cercado de objetos inúteis. 

A autora é tão enfática na hora de convencer o leitor de que ele não precisa guardar por exemplo, os manuais de instruções de aparelhos domésticos , "eles não servem para nada",  ou "aquela blusa que você comprou que te ensinou o que NÃO fica bem em você", que lendo o livro em alguns momentos dá vontade até de rir, mas no fundo o que mais dá vontade mesmo é sair organizando tudo, já que "o espaço que você mora afeta o seu corpo".

Bom, queridas leitoras, se vocês assim como eu estão buscando uma casa mais prática para colocar o foco no que realmente importa, recomendo este livro que, acredite,  vai te deixar com muita vontade mesmo de arrumar sua casa e de quebra te apresentar uma metodologia muito interessante para fazer isso. 

Aqui vão algumas dicas da guru da organização só para te dar um gostinho...

O primeiro passo no processo de arrumação é descartar

As pessoas guardam coisas na ilusão de que serão usadas um dia ou por simples preguiça de avaliar se são mesmo relevantes. Não raro, 60% daquilo que acumulamos é inútil. Mas não é só sair jogando tudo fora, é preciso se concentrar e pensar em cada item. Isso me traz alegria? Você deve escolher o que você gostaria de manter, e não o que você quer jogar fora. Pode parecer besteira, mas com o tempo essa pergunta vai começando a fazer sentido. 

Para descartar, separe as coisas por categoria

Aqui todos os livros dos meus filhos. Doamos alguns e organizamos o resto. Ficou bem mais fácil de achar os livros que realmente estamos lendo. 

Aqui todos os livros dos meus filhos. Doamos alguns e organizamos o resto. Ficou bem mais fácil de achar os livros que realmente estamos lendo. 

Essa foi uma dica que eu amei: não comece uma arrumação pelo quarto, ou pelo escritório. Comece por categoria. Por exemplo, todos os livros da casa ou todos os casacos de inverno. Marie Kondo sugere (ou exige!) que você pegue todos os itens de uma determinada categoria da casa, coloque em um espaço aberto e decida quais itens você quer manter. Ao trazer tudo de uma categoria para um só lugar, fica muito mais claro a quantidade de coisas que temos daquele item específico, e avaliar quais você quer realmente manter. 

Dê visibilidade as roupas no armário

Roupas devem ser dobradas e guardadas na vertical. Marie Kondo insiste que isso não apenas otimiza o espaço como faz você ter uma visão muito melhor de tudo. Existem mil videos na internet,  ensinando como dobrar camisetas, pulóveres, calças, calcinhas e meias (esqueça as bolinhas!) usando o método e juro, tenho que tirar o chapéu para as roupas na vertical, há 2 semanas arrumei meu guarda-roupa e o das crianças (não sem antes doar/jogar fora 3 sacos enormes de roupa) e sério: os armários seguem intactos! 

Essa Gaveta não é minha mas mostra bem o que signifca roupas na vertical

Essa Gaveta não é minha mas mostra bem o que signifca roupas na vertical

Evite a intromissão dos parentes

Essa dica é meio injusta, mas faz sentido. A presença de mães, avós, irmãos e até maridos... pode ter um impacto psicológico negativo na hora da arrumação: na cabeça deles, pode parecer inadmissível ver você jogando certos itens fora. Muitas vezes, a solidão é a melhor aliada na hora de arrumar a casa. Ou seja sobrou de novo para a gente - mas que seja pela última vez!

Aqui vai o link do site da MarieKondo e do livro, se você está interessada em entender melhor o famoso método. Mas por último queria te deixar com um pensamento inspirador de um artigo que li essa essa semana sobre a necessidade cada vez maior que as pessoas tem sentido em simplificar suas vidas. O autor, David Brooks, colunista do NYT,  argumenta que durante a nossa juventude nós criamos nossa identidade adicionando coisas à nossa vida, e ao amadurecer nós atualizamos nossa identidade à medida que descartamos coisas. Nossa identidade na maturidade vai sendo afinada quando dizemos adeus para coisas que não podemos ou queremos mais ser, hobbies que não queremos mais fazer e, como é o caso do nosso tema aqui, coisas que não queremos mais ter! 

Nas palavras dele: “Early in life you choose your identity by getting things. But later in an affluent life you discover or update your identity by throwing away what is no longer useful, true and beautiful.”

Pois é... viva o auto conhecimento!  Que a idade nos ajude a perceber, que não, a gente não precisa ser, nem ter tudo. Só o essencial. Só o que faz nos verdadeiramente feliz. 

 

 

7 perguntas para a escritora Alessandra Pontes Roscoe: "É ainda dentro da nossa barriga e no colo que se forma um leitor".

7 perguntas para a escritora Alessandra Pontes Roscoe: "É ainda dentro da nossa barriga e no colo que se forma um leitor".

Eu sinto falta daquele marido do começo de tudo

Eu sinto falta daquele marido do começo de tudo