Amor & intuição: Mãe australiana abraça seu prematuro dado como morto, e ele vive

Amor & intuição: Mãe australiana abraça seu prematuro dado como morto, e ele vive

A história do casal australiano Kate e David Ogg já rodou a internet e muita gente conhece. Depois de passar anos tentando engravidar, Kate engravidou de gêmeos. Quando os bebês estavam com 26 semanas, ela entrou em trabalho de parto. Um dos bebês, Jamie foi dado como morto pelos médicos. Com o coração partido, Kate pediu para segurar o filho junto ao seu corpo. Ela e o marido envolveram Jamie com amor e calor humano e o inacreditável aconteceu: Jamie começou a se mexer e médicos e enfermeiras que à principio estavam céticos, depois, se apressaram para ajudar na recuperação total de bebê prematuro. 

Especialistas têm se referido ao caso como um exemplo espetacular da eficiência da técnica "skin to skin" - na qual mães e pais são encorajados a segurar seus filhos recém nascidos junto ao tórax para amenizar o "susto" de sair do útero da mãe.

Hoje Jamie tem 5 anos e é uma criança alegre e saudável. Seus irmãos adoram fazer gracinhas para os outros, dizendo que ele estava morto, mas viveu de novo. A história não é nova, mas apenas recentemente o casal australiano descreveu o caso inteiro em detalhes. 

Assista esse vídeo imperdível aqui. mas já avisamos - pode pegar um lencinho para enxugar as lágrimas. Quando vemos uma coisa dessas, a gente se lembra porque mesmo a gente é capaz de qualquer coisa pelos nossos filhos. Porque amor maior no mundo não há. 


Minha mãe é diferente, tem sotaque e fala errado

Minha mãe é diferente, tem sotaque e fala errado

Um estudo diz que é errado colocar criança de castigo. E agora?

Um estudo diz que é errado colocar criança de castigo. E agora?