Como sobreviver a vôos internacionais longos com crianças pequenas

Como sobreviver a vôos internacionais longos com crianças pequenas

Gente, eu fiz as contas… Com o último vôo que nós fizemos para os Estados Unidos, eu voei desde que virei mãe, aproximadamente 180.000 quilômetros de rotas internacionais com uma ou duas crianças pequenas à tira colo. Me lembro que no começo, como mãe de primeira viagem, ficar 10 horas dentro de um avião com um bebê parecia um desafio maior do que qualquer coisa que eu já tinha enfrentado na vida. A medida que as crianças vão crescendo as coisas vão mudando de figura. Se por um lado, eles precisam de mais entretenimento e dormem menos do que um bebêzinho, por outro, eles começam a virar companheiros, e o vôo pode virar uma grande aventura em família. Aqui divido com vocês um pouco da experiência adquirida nos últimos 6 anos. 

Se seu filho ainda tem tamanho para o bercinho, reserve os assentos e o bercinho o quanto antes. Como os bercinhos precisam de uma parede para serem acoplados, eles são limitados. Já vi vários pais ficarem sem bercinho, eu inclusive :-/

Coma antes de entrar no avião. Principalmente se você estiver viajando com um bebê pequeno, pode ser que bem na hora que o serviço de bordo esteja passando você não consiga comer. O bebê pode estar chorando ou dormindo no seu colo e quem sabe até você mesma tenha conseguido engatar um precioso cochilo… Na classe econômica, não são todas as aeromoças que estão dispostas a te servir mais tarde, por isso, não dependa do serviço de bordo para matar sua fome e vá prevenida.

Vôos noturnos costumam ser melhores que os diurnos por uma razão óbvia: pode ser que os pequenos durmam o vôo inteiro ou quase inteiro…

Se possível, tenha alguém te esperando de braços abertos quando você sair do avião. Se a gente fica cansado quando viaja sozinho, imagina com filho pequeno. Se a sua família e/ou marido está te esperando do outro lado, deixe bem claro que você vai precisar de ajuda ao chegar. 

Escolha uma companhia aérea que esteja empenhada em atender bem pais com crianças. Claro que tudo vai depender da tripulação e finalmente do ser humano que está te atendendo, mas em algumas companhias é visível como a maioria dos comissários estão tentando facilitar sua vida. Eu, pessoalmente, não troco a Lufthansa por quase nada. Um monte de companhias se dizem "kids friendly“ só porque estão distribuindo brinquedos para os pequenos, e claro que as crianças AMAM os brinquedos, mas sinceramente isto é o de menos. Bom mesmo é viajar com gente que sabe que para você, provavelmente, esse vôo não vai ser encostar a cabeça e assistir um filminho. Uma vez nosso vôo foi cancelado e tivemos que ser acomodados em um outro vôo, um em cada canto do avião. A aeromoça da Lufthansa não sossegou enquanto não conseguiu não só colocar dois e dois, mas nós 4 sentados juntos. Santa mulher!

Em Frankfurt, A Lufthansa oferece guiché especial para famílias com crianças pequenas, mas para mim o mais importante é ter um serviço bom à bordo. 

Em Frankfurt, A Lufthansa oferece guiché especial para famílias com crianças pequenas, mas para mim o mais importante é ter um serviço bom à bordo. 

Ir no banheiro pode ser um problema se você está sozinho com uma criança muito pequena no avião. Troque fralda, e faça todo mundo esvaziar a bexiga antes de embarcar. Lá dentro, você tem duas opções: uma é esperar aquela hora que seu filho/e ou filhos engataram um sono pesado e ir correndo no toalete,  a outra é pedir ajuda de alguém gente boa que esteja por perto. Uma senhora simpática, uma outra família com filhos, uma aeromoça sorridente.  Acredite: anjos existem!

Nada como um aeroporto "family friendly“ e na hora de escolher a companhia aérea, se for possível, considere o aeroporto de chegada e saída. Claro que para muitos destinos não há alternativas, mas quem está viajando para a Europa, tem várias opções de entrada e saída. O aeroporto de Frankfurt, por exemplo, tem vários parquinhos espalhados pelos Gates Internacionais. Para quem tem criança entre 2 e 8 anos de idade, isso vale ouro. Afinal, que maravilha é poder pular loucamente antes de ter que ficar sentado eternamente. O aeroporto de Zurique tem uma brinquedoteca maravilhosa. 

Um dos 9 parquinhos espalhados pelo aeroporto de frankfurt.

Um dos 9 parquinhos espalhados pelo aeroporto de frankfurt.

Não se intimide com os olhares feios de outros passageiros. Vou ser sincera, antes de ser mãe, eu rezava ajoelhada para não cair sentada perto de pais com crianças pequenas. Afinal quem quer correr o risco de viajar com um bebêzinho estridente do lado? Mas infelizmente criança não tem um botão de apertar para fazer parar de chorar. E claro, que a não ser que você seja doida, você vai estar fazendo de tudo para seu filho ficar tranquilo. Eu já viajei com gente que entrou em pânico ao ver que ia ter que sentar perto de mim e das crianças e já viajei ao lado de gente super solidária. Nunca vou me esquecer de um senhor que engatou o maior papo cabeça com a Maria, enquanto eu tentava fazer o Gael dormir. É claro que entrar no avião com uma atitude folgada, deixando as crianças chutarem a cadeira da frente, criando caso e exigindo ser tratada como um ser superior porque você está na missão "vôo internacional com kids“ não vai trazer a simpatia de ninguém. Na minha experiência, a maioria das pessoas normais se solidariza com uma família educada que não quer incomodar sem necessidade.

Obrigada, Senhor, pelas milhas. Se você pode juntar milhas, junte e use para fazer upgrade da classe econômica para a business. Sempre que dá, meu santo marido cede todas suas milhas de viagens à trabalho para os vôos que eu tenho que fazer sozinha com as crianças. Sim, obrigada Senhor também por este marido. (Mas atenção, dependendo da configuração do avião, o número de bercinhos da classe Business pode ser mais limitado ainda! Neste link você consegue ver a configuração de vários aviões). 

Faça uso de todas as suas armas. Inclusive as proibidas. Aqui em casa iPad, pirulito e chiclete são artigos de uso controladissímo… Mas no avião eles ganham passe livre. Vamos combinar que não é em um vôo de mil horas intermináveis que você vai querer mostrar ao seu filho que ele não precisa daquele joguinho eletrônico para espantar o tédio. Se toda regra tem sua exceção, para nós a exceção de várias regras se chama: vôo internacional.

Gael em Ação: detalhe nas canetas penduradas.

Gael em Ação: detalhe nas canetas penduradas.

Além dos passatempos proibidos, alguns outros, totalmente saudáveis podem ajudar bastante na hora de viajar. No nosso último vôo, o Gael passou boa parte do seu tempo livre colorindo com as canetas novas, especialmente compradas para essa viagem. Se você procurar com antecedência, existem varias coisas bacanas que ajudam as crianças a se distraírem. Você, mais do que ninguém, sabe do que seus filhos gostam. Aqui  minhas ultimas aquisições contra o tédio.

Essas canetas foram maravilhosas, elas vem presas pela tampa e não tem jeito de perder, bom para brincar em casa e perfeito para o avião. A caixinha contém 50 idéias de joguinhos para fazer em viagens compridas. Alguns para bricar sozinhos e outros em dupla, fez sucesso com a Maria.

Essas canetas foram maravilhosas, elas vem presas pela tampa e não tem jeito de perder, bom para brincar em casa e perfeito para o avião. A caixinha contém 50 idéias de joguinhos para fazer em viagens compridas. Alguns para bricar sozinhos e outros em dupla, fez sucesso com a Maria.

Tente fazer uma mala de mão completa mas compacta, principalmente se você estiver viajando sozinha com as crianças.  Organizar uma bagagem que seja capaz de salvar sua vida nos mais diversos cenários, e que não pese 80 kilos é uma arte, mas quebre a cabeça para encontrar uma solução que funcione para você. Afinal, você vai ter que levar seu filho (s) e sua mala. Sozinha. Eu provei varias combinações e hoje em dia gosto de levar uma mochila bem equipada nas costas, e uma bolsa prática e fácil de abrir e fechar que seja possível carregar cruzada. Na bolsinha, deixo as coisas importantes e que vou precisar ter a mão no aeroporto: passaporte, cartão de embarque, carteira, telefone, álcool gel… e na mochila todo o resto. Assim, tenho as duas mãos livres todo o tempo. 

É normal ter medo. Mesmo quem nunca teve medo de voar, pode desenvolver palpitações na hora de cruzar o atlântico com os filhos. Tente relaxar da maneira que melhor funciona para você: copo de vinho, floral, meditação.. vale tudo, só não vale passar sua ansiedade para as crianças. Isso só vai piorar as coisas. Uma vez pegamos uns 30 minutos de turbulência pesada. Daquelas que o pessoal solta gritinhos e que você já vê um ou outro chorando. Foi bem chato. Mas fiz minha melhor cara de paisagem quando a Maria me perguntou porque o avião estava sacudindo daquele jeito. (Ser mãe: a arte de fazer cara de paisagem quando você está aterrorizada.)

Bebês e crianças pequenas podem ter dor de ouvido por causa da pressão. Se você conseguir, tente amamentar, engatar uma mamadeira ou um suco durante decolagem e pouso. 

Pode ser que você tenha sorte, e o vôo seja tranquilo, muitas vezes a gente dá sorte mesmo. Mas se você estiver tendo um vôo horrível, não esqueça de repetir o mantra sagrado dos vôos internacionais com criança pequena: " Esse vôo também vai acabar. Ommmm. Esse vôo também vai acabar. Ommmm.“

E você? O que você aprendeu nos vôos de longa distância com as crianças? Qual sua companhia aérea preferida? Quais são os aeroportos preparados para os pequenos passageiros? Deixe aqui suas dicas para quem vai bater asas com os filhos.

 

 

Camila Furtado é mãe da Maria de 6 anos e do Gael de 3 anos. Ela mora na Alemanha que fica a apenas 10.000 km de distância do Brasil. Ela sempre faz pensamento positivo para as suas amigas que moram na Austrália.    

Para a mãe que permitiu que a filha de 8 anos se depilasse

Para a mãe que permitiu que a filha de 8 anos se depilasse

Pelo direito de amamentar onde bem quiser

Pelo direito de amamentar onde bem quiser