Nāo se espante, mas a tradição na Finlândia é o bebê dormir numa caixa de papelão

Nāo se espante, mas a tradição na Finlândia é o bebê dormir numa caixa de papelão

Eu sei bem que esta história já rodou muito mesmo pela internet há uns dois anos, quando este blog nem existia. Talvez pra você isso não seja nenhuma novidade. Mas aí, esta semana, o assunto voltou a ser notícia num site americano e eu fiquei imaginando um monte de gente, incluindo novas mães que surgiram neste tempo, que ainda não sabia deste "modelo" de berço. E como tudo o que a gente acha interessante, a gente gosta muito de compartilhar... voilà!

Um bebê dormindo numa caixa de papelão. Antes de achar esta história sem cabimento é preciso entender o contexto finlandês. Na década de 1930, a Finlândia era um país pobre, com uma mortalidade infantil alta - 65 em cada 1000 bebês morriam. Mas os números melhoraram nas décadas que se seguiram e a “caixa da maternidade” é uma das explicações para isso: as mães recebendo uma caixa com roupas, lençóis, cobertores, fraldas, brinquedos, produtos para banho, um pequeno colchão e a mesma caixa ainda podendo ser usada como berço. 

O kit estava disponível apenas para as famílias de baixa renda, mas isso mudou em 1949, quando a caixa passou a ser entregue pelo governo finlandês a todas as mães do país. Mas havia a exigência de que a gestante só receberia o kit se fizesse o pré-natal também disponibilizado pelo governo. Esta política, seguida nos anos 60 por um sistema de seguro de saúde nacional, ajudou a Finlândia a alcançar uma das mais baixas taxas de mortalidade infantil do mundo. Hoje, o país tem um invejável sistema educacional, além de qualidade de vida, alto índice de desenvolvimento econômico e social. 

Kit disponibilizado pelo governo finlandês ao recém nascido

Kit disponibilizado pelo governo finlandês ao recém nascido

Muitas crianças na Finlândia, de todas as origens, ainda hoje têm seus primeiros cochilos dentro de uma caixa de papelão. As grávidas podem escolher entre receber a caixa ou um valor em dinheiro, atualmente fixado em 140 euros. Mas 95% das mulheres optam pela caixa, já que os produtos contidos nela valem muito mais. É bem verdade também que há empresas que lucram com a idéia e se alguém quiser experimentar a caixa de papelão para o bebê, mas não recebe o benefício do governo da Finlândia, pode comprar a caixa num site especializado!

Caixa disponível para a venda

Caixa disponível para a venda

É interessante perceber que esta caixa na Finlândia se tornou um símbolo da idéia de igualdade e ainda assim, mesmo sendo de papelão, um símbolo da preocupação pelo bem estar dos bebês e de suas mães. 

 

 

 

Fabiana Santos é jornalista, mora em Washington-DC e é mãe de Felipe, de 10 anos e Alice, de 4 anos. Apesar de entender a tradição da Finlândia e da caixa parecer bem firme, ela acha que não teria coragem de usá-la como bercinho.

Minha filha nunca viu um pediatra: sobre ser mãe no Sistema Nacional de Saúde do Reino Unido

Minha filha nunca viu um pediatra: sobre ser mãe no Sistema Nacional de Saúde do Reino Unido

7 perguntas para Fábio Boucinhas: ele contrata mães que querem trabalhar em casa

7 perguntas para Fábio Boucinhas: ele contrata mães que querem trabalhar em casa