O que eu gostaria de ter sabido antes de me mudar para outro país?

O que eu gostaria de ter sabido antes de me mudar para outro país?

Nós fizemos esta pergunta para vários amigos e leitores do blog. Famílias brasileiras que fizeram as malas e se jogaram na aventura de morar em outro país levando filho, cachorro e gato! Curiosos? Aqui vão as respostas, das dicas mais práticas até os insights mais profundos… Os nomes são fictícios mas os países são verdadeiros.

“Nós alugamos um apartamento no Canadá por um ano, e tudo foi intermediado por um conhecido que morava na mesma cidade. Não foi uma experiência legal. Péssima experiência alugar do Brasil. Minha sugestão é alugar uma casa pelo Airbnb por 30 dias, tempo suficiente para encontrar uma casa, combinada com a escola para os filhos, acesso a transporte público e benefícios próximos como supermercado e serviços.”  -  Luciana, Canadá, 2 filhos.

"Quando me mudei para Downtown DC não conhecíamos nenhum brasileiro. Por mais de um anos sentimos um impacto grande por não termos nenhum contato e nossa primeira filha não tinha nenhum amiguinho de pais brasileiros. Fez uma enorme diferença arranjar depois de um tempo uma comunidade brasileira na região de Maryland. No final das contas, os brasileiros se ajudam e ter com quem conversar de vez em quando em português dá um super alívio. Se eu pudesse voltar no tempo, teria pesquisado melhor onde encontrá-los antes de mudar de país." - Silvia, Washington-DC, 2 filhas.

“O maior impacto para nós foi a mudança climática, chove MUITO!!! E aí é o desafio!! Pois fomos percebendo que mesmo com a chuva a vida não pára. As pessoas, incluindo as crianças, continuam fazendo tudo igual. Saem nas ruas, caminham (e muitas vezes sem guarda chuva mesmo), brincam nos jardins (inclusive na escola, durante intervalo eles saem para brincar). Lógico que ninguém fica na chuva debaixo de um temporal, mas chuva fina e leve é como se nada estivesse acontecendo, a vida segue normalmente. Confesso que foi uma adaptação difícil mas as capas de chuva e galochas estão aí para isto!” - Adriana, Bélgica, 1 filho. 

“Vejo muita gente querendo arrumar o emprego dos sonhos ou pelo menos o mesmo emprego que tinha no Brasil. Vou ser bem realista. Isso é bem raro aqui no Canadá. Vc pode ser o papa da sua área, mas você ainda não conhece a cultura deles, os processos na empresa, a estrutura da organização, como o sistema público funciona. Aqui no Canadá,  é fundamental o "Canadian Experience". Por isso, você vê muita gente só se "encontrando" aqui depois de uns 2 anos. Leva tempo. A verdade é a seguinte... eles vivem de referências. Quem vem para se reestabelecer profissionalmente tem que ter paciência. Não estranhe se uma empresa te chamar para freelar por uma semana ou 1 mês. É assim mesmo. Eles querem te conhecer primeiro." -  Paulo, Canadá, 2 filhas.

“Eu queria ter sabido mais sobre moradia. Sobre os esquemas dos prédios. Aqui tem uma grande diferença entre os prédios com porteiro, mais seguros, tipo condomínio e os outros, sem, onde há mais imigrantes em geral. Também penei um pouco para descobrir comidas e alimentos mais parecidos com os dos Brasil.” 

“A vida das pessoas que você deixou no Brasil segue sem você. Claro que sua família e os amigos de verdade continuam te amando do mesmo jeito, mas a vida deles vai seguir, e vai ser sem você. Eu sabia disso na teoria, mas doeu muito quando eu percebi que eu não fazia mais parte. Eu não estava com a minha irmã no dia que a filha dela nasceu, eu perdi o batizado da minha afilhada, a festona de 40 anos da minha melhor amiga, o Natal… Enfim… vida que segue, e sem você.”  -  Isabela, Japão, 2 filhos. 

"Mudar seu status profissional pode ser mais duro do que você imagina. Quando eu vim para cá, eu nem tinha a ilusão de que eu ia me restabelecer profissionalmente com rapidez, até porque eu sou dentista, e preciso convalidar meu diploma a exercer minha profissão. Achei que seria bom, então, dar uma pausa para ficar com a minha filha pequena. Mas eu não imaginei que ficaria tão em crise como dona de casa. Logo eu que sempre trabalhei e nunca dependi do dinheiro do meu marido. Gostaria de ter preparado melhor minha cabeça para passar por isso." Julia, Alemanha, 1 filha

"As coisas que me pegaram de surpresa aqui foram os detalhes práticos do dia a dia, por exemplo, como vestir nossos filhos no inverno aqui? Estamos em uma cidade na Suécia de -25 Celsius, o grande segredo que ficamos sabendo agora é vestir várias camadas de roupa ao invés de um casaco grande. Então as crianças vestem uma uma camiseta térmica bem justa, uma camiseta normal por cima, um moletom ou fleece, calça térmica, calça de moletom e por cima de tudo um overall (tipo de macacão super quente impermeável), gorro e luvas ...30 minutos para trocar cada criança e pior é quando você termina todo esse ritual você sente aquele cheirinho de fralda suja...toca tirar tudo de novo . Outra coisa importante que ficamos sabendo aqui é que devido às baixas temperaturas no inverno as mulheres não devem usar maquiagem a base de água pois ela congela dentro dos poros causando machucados muito feios, apenas maquiagem a base de óleos no inverno. Nunca sair de cabelos molhados pois eles congelam no inverno e quebram na raiz." Rodrigo, Suécia, 2 filhos 

E você?? O que tem para nos contar da sua experiência com a família vivendo no exterior? Deixa sua contribuição nos comentários. Pode ser uma dica prática ou um insight de alma. Vai ter muita gente agradecida!

12 erros que você é capaz de cometer na gravidez da sua parceira

12 erros que você é capaz de cometer na gravidez da sua parceira

Você não é uma mãe ruim, você só precisa dormir

Você não é uma mãe ruim, você só precisa dormir