Bebês bilingues desenvolvem melhor o cérebro

Bebês bilingues desenvolvem melhor o cérebro

Os bebês que estão expostos a duas línguas, em vez de apenas uma, no primeiro ano de suas vidas, podem desenvolver uma vantagem cognitiva sobre os monolíngues, melhorando suas capacidades para resolução de problemas. E apesar dos bebês não terem problemas de verdade para resolver, este estímulo extra para o desenvolvimento cerebral, pode colocar os bilíngues em um bom caminho no futuro.

Pesquisas anteriores já haviam mostrado que as pessoas que falam vários idiomas tendem a ter maior conectividade em áreas do cérebro envolvidas na função executiva, que se refere a uma gama de capacidades cognitivas relacionadas ao planejamento, raciocínio e resolução de problemas. No entanto, os pesquisadores da Universidade de Washington estavam curiosos para saber se este efeito neurológico, por conta do multilinguismo, poderia ser detectado em bebês que ainda nem tinha começado a falar.

Os pesquisadores recrutaram bebês de 16 meses de idade para fazer um teste. Metade das famílias só falava inglês, enquanto a outra metade era de famílias bilíngues (inglês/espanhol). Os pesquisadores utilizaram um aparelho para medir a atividade cerebral dos bebês. 

A equipe descobriu que os bebês de famílias bilíngues exibiram fortes respostas do cérebro tanto para o espanhol quanto para o inglês, indicando que eles foram capazes de reconhecer e processar ambos os tipos como "sons fonéticos" em vez de considerarem apenas ruídos generalizados ou qualquer outro tipo de som. Os bebês de famílias de única língua (o inglês), no entanto, só responderam aos sons em inglês, sugerindo que não eram foneticamente processados os sons em espanhol. As conclusões da pesquisa foram divulgadas na revista Developmental Science.

O resultado aponta que mesmo antes de os bebês começarem a falar, eles estão aptos para reconhecer sons linguísticos. No entanto, uma conclusão ainda mais importante foi a de que as respostas neurológicas de bebês bilíngues ocorreram em regiões do cérebro responsáveis por certas funções executivas: como o pré frontal e o córtex orbito frontal. Mas as respostas do cérebro de um bebê monolíngue não se estenderam para estas regiões cerebrais.

Os pesquisadores concluíram então que a necessidade de ter que distinguir duas línguas, representa para os bebês um desafio cognitivo que os obriga a utilizar essas regiões do cérebro, o que consequentemente fortalece suas funções executivas. Nas palavras de Naja Ferjan Ramírez, pesquisadora e co-autora do estudo, "os resultados sugerem que o bilinguismo não apenas realça o desenvolvimento da fala, como também o desenvolvimento cognitivo como um todo."

Em outras palavras, bebês que estão expostos a mais de uma língua tendem a levar uma certa vantagem na hora de fortalecer as conexões em áreas do cérebro que são necessárias para boa capacidade de resolução de problemas e pensamento flexível. 

Boas notícias para nós e para nossos pequenos flexíveis! 

Esta é uma tradução livre do texto "Bilingual Babies Have More Flexible Brains" e aqui um vídeo sobre a pesquisa feita:

Quando a gente se dá conta de que os filhos não são propriedade nossa

Quando a gente se dá conta de que os filhos não são propriedade nossa

Ensine o seu filho a saber perder

Ensine o seu filho a saber perder