Momnesia: aquilo que toda mãe tem e nem sabia

Momnesia: aquilo que toda mãe tem e nem sabia

esquecida.jpg

Dez entre dez mães já passaram ou vão passar por alguma (ou todas!) das situações abaixo:

-Sair de casa com a camisa do avesso;

-Colocar o suco de laranja no microondas por 30 segundos; 

-Levar o telefone sem fio de casa dentro da bolsa;

-Deixar a chave do lado de fora da porta;

-Entregar o leite da xícara para a bebê e a mamadeira para o mais velho;

-Querer contar uma coisa para o marido, lembrar da história mas não conseguir lembrar quem foi que te contou (ou esquecer a conclusão);

-Usar adoçante na salada no lugar do sal;

-Guardar o controle remoto da televisão dentro da geladeira;

-Ir ao supermercado e comprar tudo menos o principal que a fez sair de casa;

-Esquecer a mochila e/ou lancheira do filho em casa.

Pois com todos estes “esquecimentos” eu estava muito aflita outro dia. Achando que eu tinha algum problema de memória, preocupada com a minha cabeça avoada. Aproveitei a minha ida por outros motivos ao meu médico de confiança e disse a ele que talvez eu precisasse de algum tipo de atendimento neurológico e tal. Sério, eu estava preocupada. 

Mas o Doutor Lipson, sempre muito calmo, sacou da gaveta uns papéis e me disse que iria fazer um teste rápido comigo. O MMSE (Mini Mental Status Exam), me explicou ele, é um teste com 30 questōes para avaliar o comprometimento cognitivo ou a gravidade de alguma demência. Enfim, em 10 minutos eu acertei as 30 questōes do tal exame e ele me garantiu: “Não há nada com você, apenas o cansaço rotineiro de uma mãe”.

Pois é… o que eu tenho e provavelmente você também tem é diagnosticado aqui nos Estados Unidos como “momnesia”, ou seja, uma amnésia de mãe, que afeta principalmente mulheres grávidas e o primeiro ano da maternidade (se bem que no meu caso os meus “sintomas” ainda não passaram, né?). 

O que o meu médico e outros tantos concordam é que independentemente de você ser mãe ou não: se você não dorme direito (sim, eu ainda acordo umas duas vezes por causa da Alice no meio da noite), tem multitarefas (eu preciso cuidar dos meus textos, ver a comida das crianças, daqui a pouco tirar a roupa da máquina de lavar e passar no supermercado) e mil preocupaçōes durante o dia, é claro que este cansaço vai afetar o seu desempenho cognitivo. “É 100% normal ter lapsos de memória ou se esquecer de algo quando você está ocupado, estressado, ou com pouco sono", diz Helen Christensen, pesquisadora da Universidade Nacional Australiana. 

Na gravidez, onde muitas mulheres se queixam da momnesia, os níveis de estrogênio estão de 15 a 40 vezes acima dos níveis normais. Embora isso possa afetar a forma como cérebro funciona, a boa notícia é que não existe provas de que estes hormônios causam perdas de células cerebrais em nós mulheres. "A evidência do nosso estudo mostra que a capacidade do cérebro não é alterada durante a gravidez" ,  diz Helen Christensen.

É razoável entender que a gravidez vai modificar o que você estava acostumada a fazer. Seu QI não muda, mas suas prioridades sim. "Você tem determinada quantidade de prateleiras em seu cérebro, de modo que as três primeiras vão ficar cheias de coisas de bebê", diz a médica Louann Brizendine, diretora do Women's Mood and Hormone Clinic da Universidade da Califórnia, em São Francisco.

Sabendo que seu corpo e mente passam por mudanças significativas durante o período de gravidez e pós-parto, você pode tomar medidas para combater a frustração de memória e assim tentar se acostumar com as mudanças. A ginecologista e obstetra americana Meredith Mitchell dá as seguintes dicas: faça listas de tarefas que precisam ser feitas; beba pelo menos dois litros de líquido por dia sem cafeína; e o mais importante (e talvez, para nós, o mais impossível): tentar dormir oito horas por noite (ou tanto quanto seu recém-nascido deixar você dormir).

E não é que os estudiosos ainda encontram motivos para achar proveitoso a momnesia? A especialista em saúde da mulher, Donnica Moore, diz: "Tem sido postulado que, do ponto de vista evolutivo, esta perda de memória pode ser útil para que as mulheres esqueçam outras coisas e se concentrem em cuidar do filho.” 

 

Fabiana Santos é jornalista, casada e mãe de Felipe, de 11 anos, e Alice, de 5 anos. Eles moram em Washington-DC. O maior mico que ela passou nos últimos tempos foi esquecer a própria idade.

Uma carta para o meu marido nesta fase estranha da vida

Uma carta para o meu marido nesta fase estranha da vida

O que as crianças querem de você

O que as crianças querem de você