10 coisas para falar em vez de "para de chorar"

10 coisas para falar em vez de "para de chorar"

É inevitável: se você tem filhos pequenos, em algum momento, tem algum tipo de chororô perto de você. Pode ser que seja por motivos bobos - ela apertou o botão do elevador antes de mim! - ou por razões mais relevantes como um joelho ralado depois de um tombo de bicicleta. O fato é que diante de tantas emoções à flor da pele, nem sempre nos ocorre algo melhor para falar do que simplesmente: para de chorar! 

Chorar, contudo, por mais inapropriado e irritante que seja em alguns momentos, é uma forma saudável e necessária das crianças expressarem seus sentimentos. Se a gente simplesmente pede para que eles parem de chorar, a mensagem que fica é que os seus sentimentos não são importantes, não são válidos e são bobos. Se nós queremos ensinar nossos filhos a regularem suas emoções e se desejamos que eles continuem confiando em nós - também no futuro - com seus sentimentos e problemas, a última coisa que podemos fazer é ignorar o que eles estão sentindo.

Além disso, geralmente mandar a criança parar de chorar só piora a situação. As crianças estão buscando empatia e compreensão, e se elas não conseguirem passar a mensagem, elas irão continuar tentando (mais alto até!).

Mas o que fazer então quando seu pequeno abre um berreiro épico diante de você? A psicóloga clínica Sara do blog Happinnes is here, sugere 10 frases para usar neste momentos. 

10 coisas para falar em vez de para de chorar.png
“Escute de verdade o que seus filhos estão querendo lhe dizer agora, não importa o que seja. Se você não escutar com seriedade as pequenas coisas quando eles são pequenos, eles não irão te contar as coisas grandes quando eles forem grandes. Para eles, as pequenas coisas, nunca foram pequenas."  
― Catherine M. Wallace

Créditos da foto: MIKI Yoshihito/flickr

Ser mãe no Japão: o que é bom, o que é ruim e o que é mais ou menos

Ser mãe no Japão: o que é bom, o que é ruim e o que é mais ou menos

Ser mãe na Alemanha: o que é bom, o que é ruim e o que é mais ou menos

Ser mãe na Alemanha: o que é bom, o que é ruim e o que é mais ou menos