6 regras não negociáveis para visitar um recém-nascido

6 regras não negociáveis para visitar um recém-nascido

1 - Não apareça sem avisar  

Muita gente não se dá conta de que numa casa onde existe um recém-nascido: a mãe pode estar de camisola, sem a camisola ou de peitos para fora (porque precisa, muitas vezes, dar uma folga para os mamilos depois da mamada). E além disso, muito provavelmente a casa está uma zona. E se a mãe a ser visitada for de primeira viagem, além de muito cansada, ela ainda está descobrindo o que fazer e o que não fazer com um bebê. Neste exato momento, o pior que pode acontecer é aquela vizinha que se considera da família tocar a campainha, só pra dar uma "chegadinha" e ver o bebê. Por favor, combine antes. Muita gente comunica quando pode ir ao invés de perguntar qual o horário mais conveniente para ir (como se estar em casa significasse tempo livre sempre).

2- Seja pontual e não vá doente

Se combinou, chegue na hora. Aquela meia hora depois do combinado pode colocar tudo a perder (incluindo a vontade da mãe de tirar uma soneca). E muitíssimo importante: não marque nada se você estiver doente, mesmo que seja um resfriadinho. E já que é pra lembrar de tudo: não use perfume forte e leve uma lembrancinha. Afinal, todas as mães esperam um mimo para o filho que nasceu por mais que digam que "não precisava".  

3 -Lave as mãos e pergunte ANTES se pode pegar o bebê

Pode parecer bem estranho para quem ainda não tem filho, mas depois de passar 9 meses com o bebê na barriga, logo depois que ele nasce a mãe ainda pode sentir muito ciúmes. É totalmente fora de cogitação pegar o bebê no colo sem a autorização da mãe. Algo importante é não ficar incomodada com as "frescuras" maternas. Já fui visitar um recém-nascido que a mãe não me deixou ver... Fazer o quê? Ela disse que ele já tinha dormido e me mostrou uma foto.

4 - Só ofereça ajuda se sentir clima

Esta recomendação vai depender do seu grau de intimidade com a família que está sendo visitada. Porque é preciso ter certeza de que se você estiver oferecendo uma ajuda, a mãe (ou o pai) vai poder ter a liberdade de dizer “não, muito obrigada”, sem que você fique ofendida. Para alguns ajuda nunca é demais (incluindo lavar uma louça e tal), mas para outros a intromissão é inadmissível. Se a situação permitir, pode ter certeza, é um alívio para uma mãe menos encucada conseguir tomar um banho enquanto você estiver vigiando o filho dela (principalmente se este já for o segundo ou terceiro filho).

5 - Não dê palpites

Não repare no que você não concorda. Tenha certeza de que seus diagnósticos e conselhos podem sinceramente incomodar a mãe do bebê. Aquele papo de que “no meu caso funcionou assim ou assado”, pois é… exatamente como você falou foi no “seu caso”. É muito chato receber visita de experts que acham que a mãe em questão não está fazendo do “jeito” certo. Muitas vezes a intenção é a melhor possível mas o mais adequado é só meter o bedelho onde for chamada. Se a mãe quiser amamentar, deixe-a muito à vontade caso ela queira ficar sozinha com o filho. Há mães que preferem a privacidade. Eu que sempre fui desencanada, fiquei absolutamente constrangida com uma visita que puxou uma cadeira, se prostrou do meu lado e ficou observando (e narrando!) a mamada do meu primeiro filho.

6 - Seja breve

Ainda que a visita seja em casa, e não no hospital, procure ser breve (porque no hospital vamos combinar que o tempo dever ser sempre o menor possível e para quem é bem íntimo). Uma mãe de recém-nascido quer invariavelmente poder descansar se tiver alguma oportunidade para isso. Ou “lamber” a cria sossegadamente (nos intervalos mamada-colo-troca de fralda). Já ouvi muita mãe dizer que deixou a visita na sala e foi para o quarto porque definitivamente passou da hora mas a visita não se mancou. Se isso acontecer com você, pelo amor de Deus, tenha a certeza de que você já deveria ter ido embora - por mais que os donos da casa digam “fique a vontade”.

 - Não termine este post incomodada com tantas regras -

Todas estas "dicas" são baseadas em fatos reais. Por favor, não vai dizer: "ai credo, depois de tantas ressalvas eu vou desistir de visitar". Muita gente não tem noção mesmo e seria muito bom se todos tivessem. Precisamos lembrar que cada mãe é de um jeito e tenha a certeza de que você vai ser a melhor visita do mundo se você se colocar um pouquinho no lugar dessa mãe recém-parida. Afinal de contas, o centro das atenções ainda é uma novidade inclusive para os donos da casa. Apesar destes conselhos parecerem um tanto quanto antipáticos, uma visita com bom senso pode ser bem agradável, fazer a mãe se sentir menos sozinha e ser muito bem vinda! Não desista.

 

Fabiana Santos é jornalista, casada, mora em Washington-DC e é mãe de Felipe, de 12 anos, e Alice, de 5 anos. Quando a Alice nasceu no Brasil, eles logo tiveram que se mudar e ela sentiu muita falta de receber visitas. 

Entrevistamos o ex-marido que toda mulher com filhos gostaria de ter

Entrevistamos o ex-marido que toda mulher com filhos gostaria de ter

É um milagre: as crianças dormem no mesmo horário, sozinhas e a noite inteira!

É um milagre: as crianças dormem no mesmo horário, sozinhas e a noite inteira!