Crianças inglesas passam menos tempo ao ar livre do que presidiários

Crianças inglesas passam menos tempo ao ar livre do que presidiários

Crianças no Reino Unido estão gastando MENOS tempo ao ar livre, do lado de fora de casa, do que quem está numa prisão, de acordo com um estudo realizado no ano passado.

A pesquisa, feita com 2.000 famílias com crianças no Reino Unido, descobriu que quase três quartos das crianças estão gastando menos de uma hora fora todos os dias. Aproximadamente 20% delas simplesmente não brincam fora de casa nunca.

Imagine só que as orientações das Nações Unidas são de que prisioneiros recebam "pelo menos uma hora de exercício adequado ao ar livre diariamente.” O que está acontecendo com as crianças inglesas? E será que isso está acontecendo apenas com as que moram por lá?

"A verdade é que estamos aprisionando os nossos filhos", diz o inglês Mark Sears, fundador há 3 anos de uma comunidade inglesa e de um site que defende a brincadeira rústica, ao ar livre, sem eletrônicos, “The Wild Network” - a Rede Selvagem. O time de Mark Sears concluiu que “havia várias barreiras complicadas e interligadas impedindo que as crianças passassem tempo suficiente perto da natureza e isto está tendo impactos profundos no seu bem-estar”. 

No site eles dão sugestões criativas de brincadeiras ao ar livre, variando conforme o tempo de meia hora a até um dia inteiro. Coisas que a gente esquece que pode ser tão interessante para uma criança: como observar os pássaros com um binóculo ou deixar as marcas dos pés num terreno de lama. O site oferece ainda boas ideias de como as escolas também devem e podem se envolver na elaboração de aulas fora de sala. 

No Brasil, experiências como a do “The Wild Network” também vem progredindo e trazendo consciência à muitas famílias. O “Slowkids”, um movimento que começou em São Paulo, capital, e sobre o qual a gente já falou aqui que defende muito a desaceleração da criança, valorizando o brincar fora de casa. Eles estão sempre organizando atividades em parques de São Paulo. Uma ONG brasileira bem interessante que também aborda o assunto é a Criança e Natureza. Se você conhece algum grupo, pelas cidades brasileiras, com a mesma proposta, divide com a gente nos comentários. Quem sabe podemos ajudar outros pais a encontrarem uma proposta divertida para seus filhos fora das telas do tablet e dos smartphones?

Texto baseado na reportagem da Time: "U.K. kids spend less time outiside than prison inmates, study says".

"Nos contentamos com migalhas": o relato de uma mulher que se libertou de apanhar do marido

"Nos contentamos com migalhas": o relato de uma mulher que se libertou de apanhar do marido

Sendo uma mãe estrategista: quando se render e quando não ceder

Sendo uma mãe estrategista: quando se render e quando não ceder