O melhor presente de Dia das Mães é saber que vai dar tudo certo

O melhor presente de Dia das Mães é saber que vai dar tudo certo

Calma… Está tudo bem. A gente sabe como é: a canseira, as noites e noites sem dormir, as provas de fogo com os chiliques, a nossa impaciência, a sensação de culpa por querer sair correndo. Ainda assim, você precisa saber de uma coisa: estamos todas dentro do mesmo clichê. Ser mãe é bom, mas cansa. É normal! Se você se cansa do trabalho, do marido, da dieta… se cansar de exercer a maternidade é um direito humano seu, acontece com todas nós.

Estamos aqui pra te dizer que você não nasceu sabendo e o que você já consegue fazer em cada fase do seu filho é sensacional. Jogue fora todas os julgamentos que você tem ouvido desde os primórdios da sua maternidade: da sua própria mãe, da sua sogra, da vizinha, da mãe do coleguinha do filho. Todas podem até ser pessoas maravilhosas, mas sendo "mãe" qualquer crítica que bata fundo no seu ego pode mesmo ser um desastre. 

A gente quer ver você bem distante de qualquer baixo-estima. Porque você é muito mais forte do que imagina: tendo parido ou adotado, você resolveu guiar um ser humano pela vida. Não é pouca coisa. E você sabe muito bem que apesar de achar que ensinaria tudo, você está aprendendo junto. E é claro que você tem consciência que num processo de aprendizado existe sucesso, mas há falhas. 

A gente quer te garantir que está tudo bem se em algum momento você tiver que pedir desculpas ao seu filho por alguma mancada que você percebeu que fez. Inclusive vai ser bem melhor se os seus filhos conseguirem entender que “a mamãe também erra” e melhor do que isso: que “a mamãe sabe reconhecer os erros”. E assim você já está marcando um grande gol porque está ensinando ao seu filho sobre humildade e sobre perdão. 

Estamos aqui pra te valorizar pelas suas multifunções. Parabéns por tudo o que você tentou fazer achando ser o melhor: muitas vezes foi mesmo, outras vezes foi o que deu pra ser feito. Quantas e quantas coisas você precisa decidir, consertar, marcar, ensinar, discutir, organizar? É muita ação para uma só pessoa. É muita responsabilidade e você tem dado conta. 

Ainda que você perca o celular dentro da bolsa, esqueça a lancheira na mesa da cozinha, jogue no lixo sem querer a conta que ainda precisava ser paga, se atrase para a festinha da escola. Tentar ser um modelo de perfeição não faz você boa mãe, faz apenas você ter vontade de chorar. E a gente não quer ver você chorando (pelo menos não o tempo todo, já que uma boa chorada debaixo do chuveiro, às vezes, revigora).

Estamos aqui pra te dizer que a gente quer que você tenha muitos motivos pra sorrir e muitas oportunidades com os seus filhos para isso acontecer. Porque é difícil, mas é bom. Você vai continuar na batalha quando parar de ler isso aqui. Sim, não existe nada completamente resolvido, mas a ser trabalhado. Talvez dar uma trégua para um bom chamego no filho ou prestar atenção no sorriso dele possa valer mais do que "se matar tentando acertar". A nossa redenção é o amor. E a gente espera que esse “nosso texto-presente” siga direto para o seu coração: ESTÁ TUDO BEM. Parabéns por ser a melhor mãe que você consegue ser!

Fabiana Santos é jornalista, mora em Washington-DC e foi mãe pela primeira vez há 12 anos, de Felipe. Depois veio Alice, que tem 6 anos. Ela tem absoluta certeza de que os dois são o melhor dela neste mundo.

*A ilustração deste texto é da artista Carolina Furtado. Veja o trabalho dela também no Facebook.

O nascimento de uma mãe

O nascimento de uma mãe

Você casou com o amor da sua vida?

Você casou com o amor da sua vida?