Para você que ama ser mãe, mas também sente falta da sua liberdade

Para você que ama ser mãe, mas também sente falta da sua liberdade

Você é mãe e está se sentindo sobrecarregada e exausta? Vem aqui que a gente vai te dar um abraço.

A gente queria te dizer que está tudo bem. Vai dar tudo certo. Sim, a gente sabe que é uma loucura. Alguns dias seus filhos acordam às 5:45 da manhã e você não tem certeza de como você vai sobreviver mais um dia com tanto sono. E outros dias, você dá tanta sorte que nem acredita: as crianças dormem até às 8:30 da manhã, você consegue saborear um café em silêncio, responder e-mails, organizar a agenda e sai se sentindo pronta para conquistar o mundo: numa atitude positiva, você se sente a melhor mãe do mundo!

Tudo certo se você acha que está vivendo numa montanha russa, com idas e voltas, altos e baixos. É normal se sentir culpada, e depois vitoriosa. Se sentir exausta, certa de que você vai ter um treco, mas de alguma maneira arrumar energia para sorrir e enfrentar o dia.

Claro que é razoável sonhar acordada com o dia que tomar um banho tranquilo vai fazer parte da vida normal outra vez. Claro que é um saco estar embaixo do chuveiro e se preocupar com a tesoura que você deixou sem querer na gaveta e que seu filho de 3 anos vai COM CERTEZA encontrar só porque você teve a audácia de esticar um pouquinho este banho para raspar suas pernas. E é óbvio que assim que você lembrar da tesoura, você vai sair correndo pelada do chuveiro para tirá-la do alcance do seu filho. 

Também é normal ouvir uma criança chorando quando você está no chuveiro, mesmo quando seu filho está dormindo / ou quando ele está aos cuidados de outra pessoa / ou pior... quando ele nem está em casa com você.  Isto provavelmente vai acontecer conosco por um tempo. Normal.

Também está tudo bem quando você JURA  que "esta é a última vez que vai dar mamadeira ou peito no meio da noite” e óbvio que você acaba cedendo porque é mais fácil e na verdade você nem tem certeza se você está pronta para parar com isto ainda.

É normal sentir falta de ter tempo para se cuidar e sair arrumadinha, como nos velhos tempos. Mas também é legal se sentir à vontade para colocar uma roupa confortável e sair seja-do-jeito-que-for, sem ter que dar satisfação para ninguém. 

Tudo bem se você resolver pedir pizza em vez de fazer comida. Também não é o fim do mundo servir um maravilhoso jantar com nuggets de frango (quem nunca?)  naquele dia que tudo que você quer é sobreviver até a hora das crianças dormirem para ir assistir sua série preferida.

Ah ... e na hora de sair de casa, não se preocupe... é  super normal fazer vista grossa, fechar os olhos mesmo e não ver a zona que você está deixando para trás. Claro que está certo. Afinal, se você for começar a arrumar agora, você nunca vai sair de casa.

E sim.... nada de consciência pesada se você resolver que as crianças vão ter que brincar sozinhas para você ir limpar, aspirar e sei lá o que mais que você precisa fazer na sua casa. Às vezes, eles simplesmente vão ter que se ocupar sozinhos, se virar, arrumar uma diversão. Às vezes, você tem que fazer o que você tem que fazer. E convenhamos... uma casa limpa traz uma mente mais arejada. É bom para todo mundo. 

E olha, nós também queremos te dizer que você não é bipolar.  É normal desejar arduamente duas coisas totalmente diferentes simultaneamente: estar com seus filhos num parquinho e ao mesmo tempo querer estar em uma praia paradisíaca SEM FILHOS tomando uma margarita e curtindo um sol na santa paz do senhor.

Está certo também se você almeja do fundo da sua alma ser de novo independente, mas ao mesmo tempo nem consegue mais imaginar quem você seria sem os seus filhos. Ou o que você faria. É normal viver sem conhecer todos os canais infantis da Netflix?

Está tudo bem ser uma pessoa - uma mulher - e uma mãe. E todas as outras coisas que você deseja ser. Ser muitos personagens - às vezes múltiplos ao mesmo tempo. Está certo ter sonhos e objetivos que envolvam sua família e filhos, e sonhos e objetivos que são só para você sem ter nada a ver com eles.

Está certo estar cansada, e destruída, e emocionalmente despedaçada. Mas me diga a verdade, você nem precisa que a gente te diga essas coisas. Quando seu filho pequeno vem para perto de você, te dá um abraço, um beijo babado e diz: “Mamãe, eu te amo”, você sabe que está tudo bem. Que vai dar tudo certo.

E a coisa mais linda da maternidade é que esses momentos sempre acontecem para nos lembrar que sim... às vezes as coisas são muito confusas, mas está tudo bem. 

 

Este é um texto completamente adaptado do original de Colleen Temple Colleen, editora no Motherly.

Por que você deve investir nas viagens em família ao invés de brinquedos

Por que você deve investir nas viagens em família ao invés de brinquedos

Como criar uma filha feminista? Chimamanda Adichie tem 15 sugestões

Como criar uma filha feminista? Chimamanda Adichie tem 15 sugestões