Roupa usada de criança: que tal uma "troca de sacolas" entre mães?

Roupa usada de criança: que tal uma "troca de sacolas" entre mães?

Quantas roupas você compra para os seus filhos por ano? Eles crescem, né? E num piscar de olhos aquele vestidinho de festa, aquela calça jeans maneira, aquele sapatinho de laço não entram mais de jeito nenhum na criança. E olha que assim como eu, você também deve sempre comprar um numerozinho maior “pra ver se dura mais um pouco”. Ainda assim, nossos filhos continuam crescendo.

Especialmente se a gente mora em lugares com estações bem definidas, como é o meu caso aqui nos Estados Unidos, nem adianta “guardar” o suéter de carneirinho para o inverno do ano seguinte. Certeza de que ele não vai caber.

Claro, se na sua casa você tem filhos com idade uma atrás da outra, fica bem fácil passar de um filho para o outro. Mas no meu caso, a diferença entre os meus filhos é de 6 anos. Tem que ser alguma coisa muito especial para eu deixar esperando no armário (como foi o caso de uma botinha de chuva fofa, que a Alice se emocionou de saber que foi do irmão e tem usado agora toda feliz).

Pensando obviamente primeiro no meu bolso e também, por que não, na sustentabilidade do planeta (porque ninguém merece não saber o que fazer com tanta roupa, mesmo que você tenha, como eu tenho, o costume de doar muitas), eu criei com uma amiga o que batizei de o dia da “troca das sacolas”.

Esta minha amiga, tem uma filha dois anos mais velha e outra dois anos mais nova do que a minha. Bingo! A troca é perfeita. Ela separa uma sacola de roupas e sapatos da Mariana, de 9 anos, para a minha Alice, de 7. E eu separo uma sacola de roupas e sapatos da Alice, para a Clara, que tem 5. 

Na semana passada, fizemos a troca do nosso mini-brechó particular. A Clara amou receber roupas da Alice. Uns vestidinhos e batas super transados de uma marca que essa minha amiga nem conhecia. E a minha filha ficou mega empolgada com as roupas. Aliás, como aqui não existe uniforme de escola, Alice foi toda feliz no outro dia com “o vestido da Mariana” para a aula. É tão engraçado ver que “as roupas da Mariana” têm sido as preferidas. 

Talvez você tenha uma amiga, ou uma mãe legal da escola dos seus filhos em que essa ideia de troca possa agradar. Eu sei que tem uma questão cultural aí também. Nem todo mundo gosta de vestir “roupa usada”. Eu, particularmente, sempre amei brechós. Desde o tempo em que morava no Brasil. Aqui, já sai exultante de um brechó infantil pois encontrei um vestido no tamanho da minha filha da grife espanhola Desigual (que eu amo), que por acaso era idêntico a um vestido meu da marca.

Sou mesmo daquelas que se aparece uma amiga-mãe dizendo “olha, não sei se você vai querer mas eu tenho umas coisas que talvez sirva…”, eu já estou aceitando. Afinal, né gente, criança pequena? Muitas vezes não dá nem tempo da roupa ou do sapatinho estragar com o uso.

Fabiana Santos é jornalista, casada, mãe de Alice, de 7 anos, e de Felipe, de 13 anos. Eles moram em Washington-DC. 

Para os meus filhos: a gente também aprende quando fracassa

Para os meus filhos: a gente também aprende quando fracassa

Um pedido no Dia das Mães

Um pedido no Dia das Mães