Você é o que você lê (dicas de livros)

Você é o que você lê (dicas de livros)

Conforme prometido aqui, mais um post com dicas de leitura... Estes foram meus companheiros nos últimos meses. Estou numa pegada forte de desenvolvimento pessoal por isso pode parecer que ando meio monotemática em relação a livros. Bom, em minha defesa está aí o livro sobre o tráfico de drogas no Rio de Janeiro que mostra que continuo gostando de ler de tudo mesmo, menos livro chato e mal escrito… Li também um outro que não está na lista sobre um neurocirurgião com câncer terminal -  ótimo - mas deixo para o próximo post. 

IMG-4483.JPG

O Dono do Morro, Misha Glenny (Companhia das Letras)

O livro, escrito pelo jornalista britânico Misha Glenny,  é sobre a história de Nem da Rocinha, famoso traficante carioca, preso em 2011. Não consegui largar este livro, que é super bem escrito  e fruto de um jornalismo investigativo de primeira qualidade. Além de ser gostoso de ler, tem duas coisas incríveis neste livro. Primeira a história de Nem, que era morador da Rocinha, pai de família trabalhador e que e diante da doença rara e grave da filha, (e depois de recorrer a todas possibilidades possíveis), não vê outra alternativa a não ser ir até o chefe do tráfico na época, pedir dinheiro emprestado para o tratamento. Para pagar a dívida Nem começa a trabalhar para o tráfico. O trecho no qual Glenny descreve o momento em que Antonio Francisco Bomfim Lopes sobe o morro para pedir dinheiro sabendo que a partir dali sua vida seria totalmente diferente, é de cortar o coração. "E o que você faria no meu lugar?"

A outra coisa muito legal do livro é que dá para entender bem direitinho o que aconteceu para que o Rio de Janeiro virasse essa zona de guerra que virou. Glenny explica a catástrofe anunciada de maneira fácil, sem sensacionalismo e a partir de fatos bem investigados, e contextuando tudo com história recente do Brasil. Quando você acaba o livro, você pensa... claro. Claro, que ia dar merda. Além disso, é interessante se lembrar de como algumas coisas foram anunciadas na mídia (sensacionalista e manipulativa) e bater com o jornalismo investigativo sério de Glenny. Fiquei mais espertinha depois desse livro. E ainda mais sensível em relação a desigualdade social cruel do Brasil... (o que você faria?)

The Rules Do Not Apply, Ariel Levy (Penguim Random House)

Amei este livro - que li, sem brincadeira, em 4 dias. Levy é uma jornalista americana bem sucedida, bem casada, mora em Nova York, faz programinhas super cool de gente rica e bem sucedida, e acha que sua vida está totalmente sobre controle quando lá para os 38, 39 anos de idade um monte de coisa começa a meio desmoronar. Crise no casamento, alcolismo, tentativa de gravidez frustada, traicão, tem de tudo no menu de coisas saindo do controle de Levy. Adorei a honestidade sem vaselina com que ela fala da sua vida e o insights que vem com a constação que a gente não controla nada nesta vida.  Super recomendo para a mulherada da minha idade, que está aí se questionando sobre o que deu e o que não deu certo na vida.  E especialmente para mulheres que queriam, mas não conseguiram ter filhos, como é o caso da autora.  

IMG-4044.jpg

 

Option B: Facing Adversity, Building Resilience, and Finding Joy, Sherly Sandberg & Adam Grant (Penguim Random House)

Li esse livro ha quase um ano, mas como nunca falei dele aqui no blog e eu gostei do livro aqui vai.  Sandberg como todo mundo dever saber, é a executiva fodona do Facebook, cujo o marido morreu repentinamente há uns 4 anos. Além de ser um super pai e o amor da sua vida, ele segurava super as pontas para que ela pudesse fazer a carreira mega fodida. Diante da sua tragédia pessoal, Sandberg tem que usar de que todos nós temos que usar diante do que não podemos mudar nesta vida: resiliência. O livro é escrito em parceira com Adam Grant que é pisiquiatra e autor de vários trabalhos cientificos sobre resiliência. Eu adoro uma conversinha sobre desenvolvimento pessoal, mas se a conversinha ainda vier baseada em estudos científicos... ai eu gosto mais ainda! O livro é fácil de ler, e tem vários insights legais. Há vários exemplos de pessoas que assim como Sandberg tiveram que se reinventar depois de uma rasteira da vida. Nunca me esqueci desta frase: "Se o plano A não deu certo, então vamos fazer o melhor Plano B possível " - não é um ótimo grito de guerra?

O Ano em que Morri em Nova York, Milly Lacombe (Planeta)

Ai... amei esse livro que caiu nas minhas mãos por coincidência na hora perfeita. O livro é sobre busca interior. Na realidade uma busca inteirior meio forçada. Milly é casada há 10 anos, tem uma relacionamento maravilhoso, mora em Nova York com a mulher, tudo ok. Até que o casamento entra em crise por várias razões que Milly só vai entender depois e a sua mulher trai ela e elas se separam. E aí Milly tem que - desculpe meu português - rever a porra toda. E começa uma busca interior linda, cheia de humildade e coragem. O fim do casamento foi para ela uma tragédia na época, mas diante das circustâncias, ela não teve outra alternativa do que buscar crescer como pessoa, entender sua parcela de culpa naquilo tudo e olhar para si mesma como ser imperfeito, em evolução . É tãããããoooooo bonito!  Milly abre a alma sem pudores, e na boa tem que ser muito corajoso se mostrar vulnerável.... Eu ia lendo e surtando, fazendo screenshots para minhas amigas e mandando trechos do livro por Whatsapp para todo mundo... Recomendo demais para qualquer um que estiver em processos de busca inteiror em qualquer uma dessas modalidades meditação, ayuasca, retiro espiritual, isolamente na mata e etc ....  mas principalmente para minhas amigas que se separaram a pouco tempo, para essas,  é leitura obrigatória! 

Insight Meditation: The Practice of Freedom, Joseph Goldstein (Shambhala)

E falando em busca interior como eu poderia terminar este post sem tentar convencer ninguém a meditar, né? O autor Joseph Goldstein é professor de meditação e organizador de retreats concurridissímos nos Estados Unidos e no mundo. Os ensinamentos dele são baseados em Vipassana, mas os retiros não seguem a tradição, é uma versão mais light (e mega cara dos retiros de vipassana tradicional que não custam nada). Bom tudo bem... eu pessoalmente sou praticante da versão tradicional de vipassana, mas eu adoro a maneira como Golstein explica meditação e budismo. Ele usa exemplos práticos, é super bem humorado e tem um approach bem racional e lógico sobre a prática de meditação. O livro não é apenas para praticantes de Vipassana, mas eu acho que tem mais utilidade para quem já está meditando (não importa qual técnica você esteja usando) porque não é um livro para aprender a meditar. É para refletir sobre vários temas que veem depois que você já está avançando um pouco na prática.  O legal do livro é que ele está dividido em várias seções curtinhas, então você pode ir no tema que te interessa mais no momento.  

Se você quer começar a meditar, melhor começar com umas coisas mais leves, mas excelentes também, como Real Happiness: The Power of Meditation  e 10% Mais Feliz  E você deixa para ler este livro de Goldstein quando já estiver precisando de um guru para não te deixar sair do caminho :-) 

Um pedido no Dia das Mães

Um pedido no Dia das Mães

Por que as mulheres acima dos 40 são a nova "geração sem idade"

Por que as mulheres acima dos 40 são a nova "geração sem idade"