Na fronteira dos Estados Unidos: mães estão sendo separadas dos filhos

Na fronteira dos Estados Unidos: mães estão sendo separadas dos filhos

 John Moore/Getty Images

John Moore/Getty Images

Uma situação desumana de separar mães dos filhos está acontecendo quando famílias buscam asilo nos EUA, cruzando a fronteira ilegalmente. Os filhos são rotulados como “menores desacompanhados” e enviados para custódia do governo ou para adoção, os pais são rotulados como criminosos e enviados para a cadeia. Este tipo de ação já era possível por força de lei antes do governo Trump, mas recentemente os casos aumentaram drasticamente por conta da “política de tolerância zero” para a imigração ilegal.

Entre 1º de outubro de 2017 e 31 de maio de 2018, pelo menos 2.700 crianças foram separadas de seus pais. Uma média de 45 crianças por dia. Para muitos críticos da administração Trump, a separação familiar é uma atrocidade imperdoável. Artigos descrevem crianças chorando para dormir porque não sabem onde seus pais estão; um hondurenho se matou em uma cela de detenção depois que seu filho foi tirado dele. A administração de Trump alega que está apenas cumprindo o que a lei permite.

As famílias não são informadas do que vai acontecer no ato da prisão. De acordo com os defensores federais, alguns agentes da Patrulha da Fronteira estão mentindo para as famílias sobre por que e por quanto tempo eles ficarão separados. Um defensor federal disse, a um jornalista do Washington Post, que os pais foram informados de que seus filhos estavam sendo levados rapidamente para interrogatório. Outro jornalista, do Boston Globe, citou um defensor dizendo que, em vários casos, as crianças foram levadas “por agentes da Patrulha da Fronteira que disseram que iriam dar-lhes um banho. Com o passar das horas, as mães perceberam que as crianças não voltariam ”.

Na teoria, crianças imigrantes desacompanhadas são mantidas em instalações governamentais ou em um abrigo temporário de curto prazo, por dias ou semanas, enquanto os funcionários tentam identificar o parente mais próximo nos EUA que pode levar a criança enquanto seu caso de imigração está sendo resolvido. Mas as instalações governamentais já estão chegando ao limite da capacidade: são 11 mil crianças abrigadas, incluindo muitos menores de 4 anos. 

Na prática, a solução para reunir as famílias ainda se mostra confusa e há dúvidas se a administração de Trump está mesmo tentando fazer isto acontecer. A impressão é de que eles querem punir os ilegais da maneira mais cruel: separando definitivamente os filhos de seus pais. 

Este texto é uma tradução e faz parte das informações do site Vox.

Atualização da publicação: No dia 20 de junho, diante da pressão da sociedade e do Congresso americano, o presidente Trump assinou uma ordem executiva para "manter as famílias unidas", mas continuou anunciando que "Temos tolerância zero para as pessoas que entram ilegalmente em nosso país".

Criando um filho para ele ser um homem bacana

Criando um filho para ele ser um homem bacana

Uma "caixa de correio" para salvar bebês abandonados

Uma "caixa de correio" para salvar bebês abandonados