Vamos deixar as crianças experimentarem o tédio

Vamos deixar as crianças experimentarem o tédio

"Estou entediado" - é uma simples frase, mas que tem o poder de deixar os pais em alerta com um misto de medo, aborrecimento e culpa. Acontece que a gente não deveria ficar desse jeito. É preciso sim experimentar o tédio, em vez de se desesperar para querer afastá-lo. Aquele pensamento de que o tédio é para pessoas chatas não faz sentido. Acredite: o tédio pode ser útil.


Se as crianças não descobrirem isso logo no começo, elas terão uma surpresa desagradável. A escola, que todos precisam enfrentar, pode ser monótona e o papel do professor não é entreter mas educar. A vida não é para ser um desfile interminável de diversões. E é preciso contar um pequeno segredo sobre a vida para os filhos quando eles disserem que estão entediados. O que parece chato agora, vai ficar mais chato num mundo adulto. Quanto mais cedo você aprender como tornar a vida interessante, melhor você será no futuro.


As pessoas, num passado não tão distante, costumavam aceitar que grande parte da vida era monótona. Memórias da vida pré-século 21 estão repletas de tédio. Quando não estavam parados nas salas de estar, as pessoas faziam longas caminhadas e olhavam para as árvores. Aqueles que tinham que trabalhar tinham muito mais dificuldades. Os empregos agrícolas e industriais eram muitas vezes entorpecentes; poucas pessoas buscavam satisfação além de um trabalho remunerado. As crianças se bastavam entre estantes de livros e galhos de árvores e, mais tarde, a televisão na parte da tarde.


Hoje em dia, sujeitar uma criança a “inatividade” é visto como um abandono do dever parental. Quando não são uberparentados (essa palavra é perfeita para descrever a situação), as crianças hoje são deixadas em seus próprios dispositivos… no caso os digitais. Pais que se preparam para um longo passeio de carro ou viagem de avião são como oficiais do Exército planejando uma complicada manobra de ataque. Quais filmes para carregar no iPad? Vamos baixar estes joguinhos novos mas só mostrar quando entrarmos no carro, ok? E assim vamos deixá-los entorpecidos em frente às suas telinhas. O que os pais dos anos 70 faziam quando as crianças ficavam entediadas no caminho de volta? Nada! Eles deixavam os filhos observarem a tela, mas a das janelas. Se você se queixou de estar entediado naquela época, talvez seus pais lhe sugeriram "Vai arrumar seu quarto". Isso foi divertido? Não. Foi útil? Sim.

É preciso estar atento pois as coisas acontecem quando você está entediado. Com a monotonia, pequenas diferenças começam a emergir. É por isso que tantas idéias úteis ocorrem no chuveiro, quando você é mantido cativo em uma atividade mundana. Você deixa sua mente vagar e seguir para onde quiser.

Claro, não é realmente o próprio aborrecimento que é importante; é o que fazemos com ele. A ideia não é que você sofra com o tédio mas que você aprenda como vencê-lo. Isso pode vir de várias formas: você pode se voltar para dentro e usar o tempo para pensar. Você pode procurar um livro. Você pode imaginar o seu caminho para um trabalho melhor. O tédio leva a voos de fantasia. Mas, finalmente, a auto-disciplina.

Ensinar as crianças a suportar o tédio, em vez de aumentar o entretenimento irá prepará-las para um futuro mais realista, porque não gera falsas expectativas sobre o que o trabalho ou a vida realmente implicam. Mesmo em um trabalho que eles adorem, nossos filhos poderão ter que passar um dia inteiro respondendo aos e-mails que sobram na sexta-feira. Ou podem ter que verificar planilhas.

Porque coisas chatinhas no nosso dia a dia vão sempre existir e precisar ser encaradas. Talvez devêssemos nos lembrar disso e usar a ferramenta “tédio” para nosso benefício. Talvez em um mundo que não pára de inventar e se reinventar, num “upgrade” constante, a gente precise tentar desacelerar e isso inclui nossos filhos.

Este texto é uma adaptação livre do artigo “Let Children Get Bored Again”.

Quer mais sobre o assunto “tédio”? Leia aqui esta entrevista incrível com o pediatra Daniel Becker.

O dia em que o brigadeiro encalhou

O dia em que o brigadeiro encalhou

Marie Kondo e o milagre de deixar a nossa casa organizada

Marie Kondo e o milagre de deixar a nossa casa organizada