Estudo prova que grávidas têm desempenho de super maratonistas

Estudo prova que grávidas têm desempenho de super maratonistas

Pesquisadores que estudam os limites da resistência humana constaram que a intensidade física da gravidez é basicamente como correr uma maratona, só que de 40 semanas. Ou seja, a ciência confirma o que as mães sabem há muito tempo: a gravidez é a maior experiência da resistência humana.

As descobertas de um estudo da Duke University, que analisou algumas das atividades mais intensas em energia e de longa duração do mundo, sugerem que todos os seres humanos têm um limite metabólico específico ou uma quantidade máxima de energia que podem sustentar por um longo período de tempo.

Em outras palavras, todos nós temos o mesmo limite sobre o quão difícil podemos nos impulsionar fisicamente com o tempo. Maratonistas treinados e de elite atingem esse limite, assim como mulheres grávidas. "Toda mãe que passou por uma gravidez passou por esse esforço", disse o professor de antropologia evolutiva da Duke University, Herman Pontzer, co-autor do estudo.

O relatório, publicado na edição de junho da revista “Science Advances”, analisou atletas em uma corrida de 140 dias, 3.000 milhas de comprimento da Califórnia a Washington D.C., e combinaram com dados previamente coletados de triathlon de longa distância (IronMan), expedições ao Ártico e competições do Tour de France. Em todos os casos, eles descobriram que após cerca de 20 dias, os atletas foram capazes de manter o uso de energia até 2,5 vezes a sua taxa metabólica de repouso.

Em um estudo secundário, o estudo mediu a energia gasta pelas grávidas comparando-a com a dos dos atletas. Os resultados mostram que as mulheres gestantes quase atingem o limite de resistência humana em 2,2 vezes a sua taxa metabólica de repouso. E elas sustentam essa taxa durante toda a gravidez e no período de lactação - um período de tempo maior do que os eventos esportivos de alta competitividade.

"As pessoas queimam mais calorias por dia em ultramaratona, triatlon, Tour de France, etc., mas nenhuma mantém tanto tempo quanto a gravidez", diz Pontzer. "Com certeza, é a coisa de maior duração e maior gasto de energia que o corpo pode fazer.”

O estudo não analisou apenas o período de gravidez, mas também três meses após a gestação para mães que amamentam. Uma gravidez normal de 40 semanas abrange cerca de 270 dias. Um acréscimo de 90 dias significa que as mães estão se colocando próximas ao total de um ano.

Embora a pesquisa inicialmente visasse descobrir o limite de resistência por meio da observação de atletas, o vínculo com a gravidez é uma prova científica de quão exigente é o período de gestação humana no corpo de uma mulher.

Então, grávidas pelo mundo: da próxima vez que você se sentir culpada por querer fazer várias aulas de yoga pré-parto ou mandar seu parceiro comprar aquele sorvete, lembre-se que ter esse bebê será a maior corrida da sua vida - e você merece um prêmio.

Esta é uma tradução adaptada da publicação em inglês que você pode ler aqui.

Brasileiros que se atrasam: um produto made in Brazil

Brasileiros que se atrasam: um produto made in Brazil