Jogos vorazes: o concurso da melhor mãe

Jogos vorazes: o concurso da melhor mãe

Concurso mundial para eleger a mãe do ano. Uma multidão de mães de todos os cantos do planeta se aglomera. Todas se esforçaram muito, vivem no limite da exaustão, dão o melhor que podem e mais um pouco. Todas querem e merecem levar para casa o título tão sonhado de melhor mãe do mundo. No meio do mar de slings, legos, carrinhos de bebê e papinhas orgânicas, elas ficam sabendo que as provas serão eliminatórias. Let the games begin. Jogo Vorazes feelings. Que vença a melhor. 

Todas juram, com suas mãos direitas levantadas, falar a verdade, somente a verdade, nada além da verdade. Sob pena de serem condenadas ao fogo do inferno maternal. Primeira pergunta: quem nunca deixou um filho dormir com os pés imundos após uma festinha infantil, papel de brigadeiro colado no pé e tudo? Uma boa parte das mães é desclassificada. Risinhos vitoriosos discretos são trocados por aquelas que sempre levam para as festinhas um par de meias antiderrapantes. 

Quem nunca deixou o filho dormir sem escovar os dentes? Mais uma penca de mães sai do local da prova, cabeças baixas, uma delas é ouvida resmungando: foi só um dia, ele tava doentinho, choroso e eu sem dormir há uns três dias. A regra é clara. Quem nunca gritou com um filho? As mães se olham, muita vergonha de admitir isso em público. Uma delas toma coragem e sai, seguida por muitas outras. Quem não aguentou a dor de amamentar, peitos empedrados, sangrando, e apelou para a fórmula? Mais algumas deixam a prova. Quem nunca botou o bebê pra dormir sem arrotar, por puro cansaço? Mais mães cabisbaixas e desistências. 

E assim seguiram as perguntas, eliminando pouco a pouco candidatas coreanas, árabes, veganas, adeptas do parto em casa, empresárias bem-sucedidas que contam com um staff de enfermeiras para cuidarem de seus filhos. Quem conseguiu usar um sling sem se enrolar a ponto de parecer estar numa camisa de força? Quem já substituiu um jantar por um pacote de cheetos? Quem deixou o filho horas no celular numa tarde de domingo, só pra tirar um cochilo? Quem se distraiu no uatizap, enquanto o filho fazia uma gracinha linda? Quem não acha nenhuma graça de ficar sentada no chão servindo chazinho para as bonecas da filha por horas a fio? Quem ama ir à reunião de pais na escola?

Depois de horas de sabatina e milhares de eliminações, restaram apenas duas candidatas. E veio a pergunta final, decisiva. Suspense. Qual de vocês nunca quis matar a Peppa? As duas se olham, competitivas. Sangue nos oio. Silêncio. Até que uma delas solta um grito abafado por anos. Eu odeio a Peppaaaaaaaa! Odeio aquela família inteira, que ri de tudo sem motivo algum! Aquela mãe que nunca se estressa por nadaaaa! Por causa desse maldito desenho meu filho não pode ver uma poça de lama que se joga com tudo nelaaaaa! A candidata estava indo tão bem... Mas teve que ser contida pelos seguranças e retirada do local à força.

Chuva de papeis picados sobre a vencedora. Sob o olhar incrédulo de todas as eliminadas que continuavam assistindo, a pergunta que não queria calar: quem era aquela supermulher, que nunca havia cometido nenhum daqueles pecadinhos cotidianos? Como ela conseguiu? Qual o seu segredo? Os jurados pediram que a vencedora desse dois passos à frente e dissesse seu nome: Katniss. Ela ganhou os parabéns. E eles, então, perguntaram quantos filhos ela tinha e de que idade. Nenhum, ela respondeu. Espanto geral, seguido de “ohhhhh”. Então ela não era mãe? Katniss respondeu, calmamente, que não. Mas que tinha certeza que quando fosse, ela não cometeria nenhum daqueles crimes. Foram suas últimas palavras. Em poucos segundos a pobre Katniss foi soterrada por fraldas sujas de cocô. Fim.

Claudia Gomes é mãe de Pilar, 14 anos, e de Vicente, 9 anos. Autora de TV, ela está estreando no teatro com a peça “Mãe Fora da Caixa”, no Rio de Janeiro. Ah… e ela foi eliminada na primeira etapa do concurso.

Meu objetivo de mãe: criar um adolescente útil

Meu objetivo de mãe: criar um adolescente útil

Em que língua seus filhos sonham?

Em que língua seus filhos sonham?