Atenção, passageiros: evitem sempre a água do avião!

Atenção, passageiros: evitem sempre a água do avião!

Este é um alerta importante, baseado num estudo feito nos Estados Unidos sobre a qualidade da água dos vôos das companhias aéreas que operam no país. 

O estudo sobre a água de companhias aéreas de 2019 foi divulgado pelo Centro de Política de Alimentos da Universidade de Nova Yorque.  Foram classificadas 11 principais companhias aéreas e 12 regionais, todas norte-americanas, sobre a qualidade da água que elas forneceram a bordo de seus voos.  Cada companhia aérea recebeu um "Índice de Saúde da Água" (5 = classificação mais alta, 0 = mais baixa) com base em 10 critérios, desde o tamanho da frota à quantidade de coliformes fecais encontrada.  Uma pontuação de 3,0 ou superior indica que a companhia aérea possui água limpa e relativamente segura.

 As grandes companhias aéreas com as piores pontuações foram a JetBlue e Spirit Airlines (tiveram a pontuação 1, na escala de 5), de acordo com o estudo. As principais companhias aéreas que receberam o melhor índice de qualidade da água foram a Allegiant e Alaska - cada uma com uma pontuação de 3,3 na escala de 0 a 5.  A Hawaiian Airlines ficou em segundo lugar, com 3,1. Ainda assim, vale observar que nenhuma conseguiu o índice de excelência com a pontuação máxima de 5. 

Entre as companhias regionais americanas, o resultado também não foi nada bom. Quase todas as companhias regionais, exceto o Piemonte, ficaram com menos de 1 de pontuação quanto à qualidade da água. A Republic Airways (que voa para United Express, Delta Connection e American Eagle) tem a pontuação mais baixa de 0,44 na escala de 0 a 5 e a ExpressJet é a segunda mais baixa com 0,56. 

Nos Estados Unidos, as companhias aéreas devem colher amostras de seus tanques de água para testar a existência de bactérias (coliforme fecal, por exemplo) e também precisam desinfetar e lavar o tanque de água de cada aeronave quatro vezes por ano. Mas, mesmo com as regras existentes, o controle sobre as companhias aéreas não é efetivo e nem mesmo as multas. Ou seja, falta uma fiscalização mais segura!

Além do problema que pode existir quanto a higiene dos tanques, cada aeronave viaja para vários destinos e pode bombear água potável para seus tanques de várias fontes em locais domésticos e internacionais. Ou seja, a qualidade da água a bordo também depende da segurança do equipamento usado para transferir esta água, como reservatórios, caminhões e mangueiras.

Gostaria muito que existisse um tipo de estudo como este para avaliar a qualidade da água dentro dos aviões das companhias aéreas brasileiras. Quem pode dar ao passageiro a certeza de ter água 100% potável em todos os voos? Em se tratando de prevenção, eu prefiro acreditar que o melhor mesmo é evitar a água de qualquer avião e para isso estas regrinhas são super importantes ao embarcar:
-Não beber água servida a bordo que não esteja em uma garrafa selada;

-Não beber café ou chá a bordo;

-Não escovar os dentes usando a água do banheiro do avião;

 -Não lavar as mãos no banheiro do avião e ter sempre um anti-séptico (álcool gel);

Se prevenir é sempre o melhor remédio, ainda que a gente fique frustrada ao pensar no preço da passagem aérea e no tipo de cuidado que as companhias tem com seus passageiros. 

Fabiana Santos é jornalista, casada, mãe de Felipe, de 14 anos, e de Alice, de 8 anos. Eles moram na região de Washington-DC e viajam de avião todas as férias. Se você quiser ter acesso à pesquisa completa veja aqui.

Mães que criam filhos sozinhas: as pessoas mais fortes que você irá conhecer na vida

Mães que criam filhos sozinhas: as pessoas mais fortes que você irá conhecer na vida

Criança na água: todo cuidado do mundo!

Criança na água: todo cuidado do mundo!